10 ações de Marketing Digital para seu ecommerce vender mais no Dia dos Pais

8 de agosto de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

O portal Resultados Digitais selecionou algumas ideias super bacanas para inspirar você na hora de criar sua estratégia de Marketing Digital para o Dia dos Pais

Dia dos Pais, Dia das Mães ou Dia dos Namorados: qual data você acredita que teve maior faturamento em ecommerces no ano passado?

Apesar do lucro crescer anualmente para todas essas datas, um dos resultados é surpreendente: o Dia dos Pais deixou de ser uma data secundária de faturamento para ecommerce e ultrapassou duas celebrações que foram consideradas os grandes picos de vendas do varejo por muitos anos.

Segundo dados da empresa Ebit, que realiza pesquisas sobre hábitos e tendências do comércio eletrônico no Brasil, em 2016 o faturamento dos ecommerces na época do Dia dos Pais foi de R$ 1,76 bilhão — 12% a mais em comparação com o ano anterior.

São mais pessoas comprando online, o que também significa um esforço maior das marcas em conquistar a atenção e a preferência do consumidor na web. E, nesse cenário, o Marketing Digital ajuda a criar identificação, a resolver problemas e a elaborar benefícios personalizados para o público.

Para ajudar você na criação de ações de Marketing Digital para seu ecommerce vender mais, selecionamos ideias de conteúdos para diversas fases da jornada de compra:

  1. Blog: 10 dicas de presentes para o Dia dos Pais

Escolher um presente é o primeiro desafio da data. Segundo dados do Google Trends, a busca por “presente dia dos pais” tem seu pico entre a última semana de julho e primeira semana de agosto.

Faça uma seleção com os seus produtos mais vendidos no mesmo período do ano passado, fale sobre seus benefícios e diferenciais e use boas imagens reais do produto.

  1. Blog: Ideias para homenagear seu pai no Dia dos Pais

Nas buscas do Google, vemos um volume de crescimento para “presente criativo” e para “DIY” (do it yourself, ou faça você mesmo) relacionados a presentes.

Aproveite a tendência e crie envolvimento emocional com o leitor dando dicas que podem incluir seu produto, mas que sejam uma experiência inesquecível entre pais e filhos.

Se você vende vinho, por exemplo, pode ser um convite para um piquenique com a família no Dia dos Pais.

  1. Blog: Os melhores presentes de até R$ 100 para o seu pai

O seu cliente pode não saber ainda o que vai comprar, mas geralmente já sabe o orçamento disponível para o presente.

Criar listas de sugestões por faixa de preço pode ser muito interessante para este público.

  1. Guia para download: Os melhores presentes para o Dia dos Pais

Embalado pela temática de Dia dos Pais, você pode criar um material que seja, além de relevante para seu público, mais completo.

Faça uma Landing Page para captar os dados dos clientes em potencial e disponibilize nela o seu conteúdo rico.

É possível, inclusive, sugerir descontos para quem fizer o download. Essa é uma ótima forma de gerar Leads.

  1. Quiz: Qual presente tem o estilo do seu pai?

O quiz é uma opção mais descontraída para aumentar sua base, gerar engajamento com o público e, de quebra, recomendar produtos de sua loja.

Você pode usar uma linguagem mais leve e no resultado sugerir produtos da sua marca ou loja que mais têm a ver com um perfil específico de pai.

  1. Landing Page promocional: Conte a sua melhor lembrança com seu pai e concorra a um kit de produtos

Promoções de vendas são super frequentes nessas datas e servem principalmente para criação ou aumento da lista de emails.

Uma ideia fácil de executar é criar uma Landing Page para realizar um concurso cultural e divulgá-la nas redes sociais.

Melhor ainda se você puder investir em anúncios no Facebook, Instagram e Google AdWords para alcançar mais pessoas.

  1. Email com seleção de produtos: Quer uma seleção de produtos incríveis para presentear no Dia dos Pais?

Para aquecer os clientes que já estão na sua base e já conhecem a sua marca, voltamos à ideia de auxiliar na decisão de compra, criando uma seleção especial de produtos para essa data.

Selecione os melhores produtos e não esqueça de oferecer descontos ou frete grátis.

  1. Email de oferta 2 em 1: Dia dos Pais — descontos especiais para você e para seu pai

Nem todas as empresas têm o perfil completo dos seus clientes para saber quais são ou não são pais.

Sendo assim, como aproveitar a data para ampliar um benefício de desconto com essa temática?

Uma oferta dois em um pode aumentar o ticket da compra, usando o gatilho de “ganhe desconto e aproveite uma só entrega para você e para seu pai”.

 

  1. Email segmentado para pais: Você, que é pai, merece um desconto especial

Caso você saiba quais dos seus clientes são pais, você pode criar uma oferta especial como forma de comemorar a data.

Nesse caso, você ataca o público que não necessariamente iria consumir, mas que pode vir a comprar incentivado pela oferta.

Para saber mais detalhes sobre como fazer, leia o post Segmentação: como gerar melhores resultados enviando menos emails.

  1. Email promocional: Para pais e filhos – desconto exclusivo para pais que também valem para o dia da criança

Segundo o Google Trends, as primeiras buscas por “presente dia dos pais” iniciam perto do Dia das Mães. Então por que não aproveitar a data e criar um vínculo com a recompra?

Se o seu mix de produtos permite, por exemplo, que seja comprado um presente de Dia das Crianças ou Natal na sua loja, uma ideia é criar um desconto exclusivo para essa próxima aquisição.

Gostou das nossas ideias? Tem mais alguma que gostaria de compartilhar com a gente? Deixe-a aqui nos comentários. 🙂

Fonte: Portal Resultados Digitais

Quando as parcerias com alguns clientes são tão duradouras que se confundem com a nossa própria historia

3 de agosto de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

No mês de agosto faremos uma serie de artigos sobre a nossa longa trajetória como agência de design do Rei do Mate, uma história que começou antes mesmo da Opend existir. Vem com a gente!

O atendimento na rede começou em 2001 quando o Ivan Alatxeve, diretor de relacionamento da Opend, ainda era vendedor de food service na Melhor Bocado, empresa detentora da marca Dunkin Donuts, pioneira e líder no Brasil do conceito American Bakery.

“Foi uma das primeiras experiências de co-branding no Brasil, ou seja, duas marcas convivendo no mesmo espaço, na época Dunkin Donuts sendo vendido dentro das lojas do Rei do Mate através de uma torre com Donuts”, acrescenta Ivan.

Sempre foi perfil da Opend iniciar negócios por meio de um relacionamento, a cada quatro clientes da agência, três vieram por meio de relacionamentos com o mercado ou até mesmo pessoal.

“Após muitos anos de relacionamento como fornecedor de produtos do Rei do Mate, no segundo semestre de 2010 iniciamos o atendimento na rede para atendê-los como agência de design.  A Opend havia começado há muito pouco tempo as suas atividades, mesmo assim o RM acreditou em nós e nos deu a oportunidade de iniciarmos uma jornada ao lado deles”, ressalta Ivan.

Alguns dados do gigante das franquias no Brasil

O Rei do mate atualmente tem 330 lojas espelhadas por todo Brasil, em 85 cidades e 20 estados diferentes. E sua comunicação visual para as franquias é totalmente centralizada, feita pela administração do negócio. A rede cresceu 60% nos últimos 3 anos.

Todo ano a rede recebe selos de reconhecimento de revistas e órgãos especializados, em 2016 foi eleita pela ABF – Associação Brasileira de Frachising como as três melhores franquias do Brasil. 

Para Ivan o principal fator de sucesso da parceria, que se mantem até hoje, foi o relacionamento com as pessoas do RM, além da jornada anterior com o cliente, que ajudou muito na compreensão e adaptação para o atendimento.

“Olhando a exigência do RM conosco, podemos perceber o cuidado que a franqueadora tem com seus franqueados, job após job, mês após mês, ano após ano vemos e certificamos isso. Internamente sempre comentamos que se um dia investíssemos em uma franquia, certamente seríamos franqueados dos Rei do Mate” finaliza.

Entrevista com Antonio Carlos, Diretor de marketing da rede, resume um pouco da história do Rei do Mate.

De lá para cá a agência participou de muitos projetos expressivos com a rede e justamente para celebrar essa história de mais de 6 anos juntos, vamos dividir com você nos próximos artigos, alguns dos trabalhos que marcaram muito esta jornada.

Veja mais alguns artigos relacionados a relacionamento com clientes e o nosso principal negócio: design de embalagem. 

Boa leitura e até a próxima semana!

 

 

 

Como conquistar novos clientes usando as redes sociais

28 de julho de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

As redes sociais tem dominado o dia a dia das pessoas, entre horários apertados e compromissos diários, sempre sobra um tempinho para pegar o celular e dar uma olhada no que está rolando na timeline do Facebook, ver fotos no Instagram ou os novos vídeos disponíveis no canal do YouTube daquele seu artista preferido. Somos consumidos pela velocidade com que as notícias e novidades correm e a melhor forma de estar antenado é se manter conectado nas redes sociais.

Mas, verdade seja dita, ao consumir informação digital, também nos deparamos com muitos anúncios e publicidade. Ninguém quer ficar vendo propaganda por mais consumista que seja! Foi-se o tempo daquele antigo marketing que interrompe, como os comerciais que cortam o filme ou a novela, ou os panfletos entregues no semáforo sem nenhuma estratégia de público-alvo. Hoje o segredo é gerar engajamento e isso só é possível através do relacionamento entre empresa e cliente. Ainda bem que o marketing digital permite hoje, que qualquer tipo de empresa, independente do seu segmento de atuação ou tamanho, tenha a oportunidade de divulgar seus produtos e serviços e principalmente de alcançar novos clientes e seguidores com baixo investimento, usando muita criatividade.

Já que o uso das redes sociais não é mais uma tendência, mas uma atitude presente diariamente, como sua empresa pode usar esses canais para vendas? Veja algumas dicas importante para começar hoje a usar as redes sociais para negócios!

 

1) Relacionamento X Venda

Como citamos acima, a propaganda não pode mais ser intrometida, precisamos aprender a entrar na conversa, ou seja, nosso objetivo aqui é criar conteúdo que seja relevante para nosso cliente, através de relacionamento. Diferente daqueles posts em tom imperativo (compre, venha, faça) nosso conteúdo deve responder dúvidas e compartilhar informações que facilitem a vida do nosso cliente. A venda é uma consequência desse relacionamento. Pense nisso!

 

2) Planejamento é tudo

Se não sabemos onde queremos chegar, como vamos trilhar o caminho? Nas redes sociais não é diferente. É necessário definir quem é o seu público alvo, quais são os seus diferenciais, quais temas serão abordados, que tipo de formato será usado (foto, vídeo, live, artigo, e-book, etc), qual será o layout/design das suas postagens, etc. O planejamento é o pontapé inicial para colocar em prática uma estratégia de marketing nas redes sociais e também servirá como guia conforme as ações forem acontecendo.

 

3) Esteja presente!

Quem é visto, é lembrado. Não adianta ter perfil criado em todas as redes sociais e não aparecer, ou só aparecer de vez em quando. Uma rede social fantasma é o pior erro que pode ser cometido na sua estratégia digital. Faça um cronograma de postagens para facilitar a sua constância. Defina o que será postado e em qual dia da semana. Assim você poderá se organizar melhor e terá oportunidade de criar postagens mais relevantes e criativas!

 

4) Mensure e faça testes

É muito importante analisar a trajetória para definir novos objetivos. Pelo menos uma vez a cada dois meses, mensure os resultados de crescimento, o que deu certo e o que não deu, qual tipo de postagem teve mais engajamento e etc. Ao analisar esses resultados você poderá investir mais tempo criando conteúdo que seus seguidores e fãs já gostam de consumir.

Outra dica é testar formatos e plataformas diferentes. Na internet, o teste e acerto conta muito! Esteja disposto a testar as novas redes sociais, novas mídias e descubra de repente novos públicos e oportunidades.

Usar as redes sociais e as novas mídias para vender mais é hoje a melhor estratégia de marketing. A Opend – estratégia e design sob medida para você – oferece planejamento completo para suas redes sociais e todo suporte em marketing digital necessário para você como empresa alcançar os seus objetivos!

Conte com a gente, que tal marcarmos um bate-papo?

Branding: como usar a era digital para agregar valor à sua marca

4 de julho de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

É inegável que a internet alterou nosso modo de vida em inúmeros aspectos. Tivemos que nos reinventar, descobrir e criar novos caminhos para acompanhar essa mudança que a era digital nos trouxe. Hoje, cerca de 58% de brasileiros estão conectados à rede, o que representa 102 milhões de pessoas, e a média de tempo gasta no ambiente virtual é de 9 horas por dia, considerando o tempo gasto com o uso de computador e dispositivos móveis.

Com todo esse potencial de alcance, a internet é uma ferramenta extremamente útil no branding. Agregar valor à uma marca, produto ou serviço de forma efetiva e duradoura é um desafio gigantesco e a internet pode ser uma facilitadora neste processo. No entanto, é necessário saber como aproveitar essa ferramenta de forma estratégica porque assim como o potencial de ganho para o negócio é amplo, uma estratégia errada ou mal feita pode gerar péssimos resultados rapidamente.

Relacionamento é a alma do negócio

A principal característica da internet é a possibilidade de uma relação de proximidade e interação entre consumidor e marca. Desenvolver um relacionamento exige um conhecimento amplo das características e até mesmo dos hábitos do cliente. É preciso considerar não apenas o conteúdo que ele consome, mas também as plataformas e dispositivos que são usados e assim adaptá-lo aos diferentes públicos para tornar a experiência do usuário mais dinâmica e prazerosa possível.

Vale ressaltar também, que a internet proporciona uma participação direta do consumidor na construção da imagem da marca pela viabilidade de avaliação de produtos e serviços, de forma rápida e pública. Todos podem ter acesso às opiniões de outros consumidores, o que obviamente influencia na decisão final de compra, por isso a importância do relacionamento com o cliente. O branding não transforma sua marca, ele ressalta os pontos positivos e deixa mais evidente o que ela já é e representa. Logo, é imprescindível que tenha-se bem definido o posicionamento e motivações da marca antes de iniciar o processo de divulgação e posicionamento.

 

4 dicas práticas de Branding Digital

1) A internet fornece diversas plataformas com inúmeras formas de uso, mas de nada adianta colocar um conteúdo no Instagram se o seu cliente usa apenas Facebook. O perfil do cliente vai te guiar para a melhor plataforma, desde a produção das pautas até o formato dos conteúdos. Use e abuse das mídias sociais! Facebook, YouTube e Instagram são os queridinhos do momento, mas atualize-se sobre os novos aplicativos e plataformas que estão sendo lançadas. Muitas vezes chegar primeiro pode te dar uma boa vantagem sob os concorrentes.

2) Cumpra o que você propõe. Se abrir um página no Facebook que tem uma proposta de interação forte é preciso estar preparado para a demanda que isso pode gerar. Administrar e responder os comentários e mensagens com agilidade e empatia com o consumidor em potencial é o básico que se precisa fazer para manter um bom relacionamento com o cliente.

3) Apenas ter um perfil no instagram ou um blog que nunca é atualizado, é o mesmo que não ter nada. O branding exige uma constância da marca com o compromisso de ter sempre conteúdos relevantes e novos. É melhor ter um perfil em apenas uma plataforma e conseguir atender e interagir bem com o público do que ter várias contas em plataformas diferentes e não alimentá-las com frequência.

4) O conteúdo criado precisa ser relevante e causar um identificação no cliente. Foto, vídeo, texto ou qualquer outro formato, deve conversar com o cliente tanto na parte visual como apresentar informações valiosas e diferenciadas. Fique atento no que está rolando na internet e dialogue com isso. Vocabulário, memes e virais podem ser uma fonte infinita de conteúdo e inspiração.

O branding digital é a personalidade online da marca e o ideal é transformar clientes em fãs que amam, falam bem e recomendam seu serviço ou produto. Essa relação precisa ser construída com transparência e autenticidade, pois qualquer deslize pode comprometer a reputação online que demorou anos para ser construída.

Quer saber como aplicar esses conceitos e fazer sua marca bombar na internet? A gente pode te ajudar com isso. Vem contar suas ideias para a Opend – estratégia e design sob medida pra você!

4 dicas para um Planejamento de Marketing que dá certo!

4 de julho de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Você está há três dias com fortes dores de cabeça e decide ir ao médico. Ao chegar no consultório, ele não troca mais que poucas palavras com você, não faz nenhum exame, passa um medicamento pra dor e manda você pra casa. Qual seria a sua reação? Você se sentiria satisfeito com a consulta? Que confiança você teria de que o medicamento iria resolver o seu problema?

Assim como um remédio, as ações de marketing são efetivas e produzem bons resultados. Porém é necessário um diagnóstico apurado, baseado nos exames e histórico do paciente para se receitar algo que seja de fato efetivo a curto e longo prazo. Na hora de pensar nas ações de marketing para uma empresa, seus produtos e serviços, o plano de marketing é o responsável por diagnosticar as necessidades e apontar os caminhos para ação. Quanto mais planejamento, mais assertivo serão as ações de marketing.

Não há um plano de marketing ideal ou modelo padrão, mas existem alguns pontos relevantes que se adaptam a qualquer segmento. Cada empresa possui suas características e especificidade, portanto cada plano de marketing é único e de acordo com o contexto que a empresa está inserida. É conhecendo a fundo a atuação e objetivos da empresa em questão que se poderá desenvolver ações que trarão resultados satisfatórios. Então, aqui vão 4 dicas para você

 

1) Olhe ao redor

Um bom planejamento exige uma análise do mercado de atuação da empresa e de seus concorrentes. A importância dessa etapa no planejamento, é conhecer as pontos fortes e fracos da esfera em que se atua ou que se quer atuar para assim aproveitar as lacunas e oferecer algo que tenha um diferencial. Aprender com os erros dos outros e não repeti-los evita o desperdício de investimento tanto de tempo como de recursos. Faça um apanhado dos bons exemplos de ações, as que mais bombaram e tiveram resultados positivos, isso auxilia na percepção e conhecimento do que os clientes gostam, ou seja, um vislumbre do caminho a seguir.

 

2) Olhe para dentro

Reconhecer suas forças e fraquezas dentro segmento em que sua empresa está inserida e em relação aos concorrentes é um ponto essencial. Mas, também é importante ser franco quanto a essência interna. Quais os objetivos da empresa? Como ela quer se posicionar no mercado? Como quer ser conhecida? Quais são seus valores e missão?

Fundamental também, é definir exatamente quem a empresa quer atrair. Quem é seu público e como ele se comporta? Os melhores resultados acontecem quando sabemos com quem queremos dialogar e quais são as necessidades dessas pessoas. Trace um perfil real de pessoas que pretende alcançar: seus hábitos, como consomem informação, suas dores, dúvidas, e até mesmo como entrarão em contato com sua empresa. Não há como atingir todo mundo de uma vez só, portanto seja específico, saiba quem é o seu cliente ideal.

 

3) Escolha as ferramentas certas

Este é o momento de definir estratégias e ações que serão construídas a partir do objetivo final da empresa. As possibilidades de ações são inúmeras, criatividade e mente aberta serão um diferencial na hora de definir quais ações terão melhor resultados. Marketing digital, offline, inbound, outbound, guerrilha, viral e por aí vai.

Leve em consideração também, o orçamento que sua empresa dispõe. Seja realista! Não adianta fazer planos mirabolantes e não poder executá-los.

Estabeleça um cronograma para a realização do plano de marketing e ações. Esse cronograma te ajudará a monitorar as ações e seus resultados proporcionando uma avaliação do que deu certo ou alteração do que precisa ser corrigido. Mudar o caminho no meio do percurso não é sinal de fracasso.  Imprevistos acontecem e precisam ser gerenciados da melhor forma. Tente detalhar ao máximo seu cronograma, desde as ações até quais ferramentas e pessoas serão necessárias para realizá-las.

 

4) Qualidade x Quantidade

A gente já sabe que tamanho não é documento faz tempo, certo? Logo, na hora de fazer um planejamento, não seja extenso e cansativo. Concentre-se no que precisa de atenção e nos detalhes importantes! Saiba filtrar as informações e ser objetivo para facilitar o entendimento e execução do plano. Quanto mais informação relevante, mais fácil será investir o tempo na prática de tirar as ideias do papel.

Se a sua marca precisa de um bom Planejamento de Marketing, analisando o mercado e definindo boas estratégias, a Opend – estratégia e design sob medida pra você – tem as melhores ações para te indicar. Deixe suas dúvidas nos comentários e entre em contato com a gente!

Feedback: qual é o peso e a medida?

13 de junho de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Acompanhe o depoimento e dicas do site Administradores pela Coach Deborah Toschi sobre Feedback. Descubra qual é o peso e a medida correta que os gestores devem adotar.

Faz 20 anos que atuo na área de Desenvolvimento Humano. Desde sempre, ou seja, estamos falando aqui da década de 90, vejo o tema Feedback como alvo de atenção e preocupação entre os assuntos relacionados a gestão de times e liderança.

O grande “Q” da questão é sempre o peso e a medida que os gestores devem adotar no momento do feedback. Como falar? Quanto? Quando?

Fico aqui pensando se isto é algo tão importante e preocupante, seria bem interessante que este tema fosse alvo de um “case interview” para os líderes. Mas, vamos entender o que se passa na pele dos gestores. Aqueles que já vivem este cenário sabem muito bem que nem sempre é fácil. Ter a certeza e a segurança entre o peso e a medida do que é importante compartilhar com seus funcionários é algo que requer cuidado.

Eu mesma tenho algumas passagens complexas na minha trajetória. Escrevendo este artigo me fez recordar um caso bem marcante.

Eu tinha assumido uma equipe recentemente e tinha uma gestora que já apresentava um histórico de feedbacks desafiadores. Logo após o comitê de avaliação, e com os exemplos dos meus pares na memória, fui para uma sessão de feedback com todo o empenho para mostrar aquilo que tinha ouvido. Para mim era um “last call”, pois já tinha um sinal forte de desligamento à vista.

Eu fiquei uma hora e meia com ela…Com fatos e dados (muitos até descritos no relatório) tentei mostrar os pontos ali exemplificados na avaliação 360 graus. Esperava ao menos um sinal de mudança ou pelo menos abertura para que ela considerasse tudo que foi apresentado, mas não adiantou. Depois compartilhei com o meu diretor as reações e ele disse que não gastaria trinta minutos com aquele caso.

Sim, as chances eram mínimas, mas minha premissa sempre foi tentar até a última fase. Por outro lado, existem situações que não vale tanto desgaste e ali também me serviu de exemplo. Contudo, sempre temos que conduzir este processo de forma que fique claro todos os pontos. A mensagem sem sombra de dúvida foi passada.

Quero então compartilhar 5 dicas para aumentar a sua assertividade no momento de Feedback!

  1. Fatos e Dados

Quanto mais informações concretas, exemplos, situações e outros dados você tiver para exemplificar melhor. Nem sempre o nosso discurso por mais dedicado que seja deixará claro aquilo que queremos transmitir. Então, busque estes exemplos.

  1. Ouça e Pergunte

Durante a conversa, principalmente no início e no fim do encontro procure entender, do ponto de vista do funcionário, o que ele tem observado e compreendido sobre as fortalezas e seus pontos de desenvolvimento. Este ponto é muito importante não só para que o outro tenha espaço para colocar seu ponto de vista, mas para que você compreenda o quão próximo ou distante ele está das considerações que ali serão apresentadas. Este fator ajudará no alinhamento da sua comunicação.

  1. Verdade e Consequências

Sempre fale a verdade. Sim, temos a preocupação de sermos muito duros, pois na nossa cultura relacional sempre evitamos conflitos, mas acredite que a verdade sempre é a melhor aliada. Não deixe de dizer os incômodos! Na hora de falar sobre eles, mesmo quando a pessoa não percebe que aquilo é importante, procure colocar de uma forma construtiva. Aqui tem um ponto que é um grande aliado, as consequências. Se você explica o que é esperado e porque é esperado, o seu interlocutor vai aos poucos entendendo as consequências. Se ele olhar para os desafios e trabalhar em cima disso as consequências tanto para ele quanto para o time serão positivas. Caso ele decida não trabalhar estes pontos ele continuará sofrendo as consequências também. O ganho não é para empresa e sim para todos.

  1. Reconhecimento

Todos os avaliados possuem contribuições e competências que agregam valor. Então, você precisa reconhecer estes pontos. Aqui a regra também é a mesma com fatos e dados. O funcionário que é reconhecido se sentirá valorizado, e consequentemente mais encorajado para se desenvolver cada vez mais.

  1. Assumindo compromissos

O último ponto e muito importante é o compromisso. No final da conversa encerre com um espírito de parceria e comprometimento mútuo. É papel do gestor estar disponível para auxiliar e contribuir com o desenvolvimento do funcionário. Assuma este compromisso com ele, e alinhe quais são os pontos que ele se compromete a partir dali. Toda vez que elaboramos um plano de desenvolvimento fazemos com a finalidade que seja possível de ser atingido e que agregue, e não para que lá na frente os resultados esperados não sejam alcançados.

Espero que estas dicas ajudem o seu processo de gestão de equipe e autoconhecimento!

Fonte: Administradores

10 dicas fundamentais para você fazer seu marketing pessoal

7 de junho de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Todos nós comunicamos e por isso é muito importante cuidar do marketing pessoal. Veja as dicas que o pessoal do Portal Pra Valer separou para você.

Quando se fala em marketing, lembramos imediatamente de comerciais e propaganda de produtos. Mas há uma modalidade que também é utilizada para ajudar na carreira profissional: o chamado marketing pessoal. Saiba mais sobre ele e como pode ajudar em sua jornada de crescimento no mercado de trabalho!

O que é marketing pessoal

É um conjunto de estratégias e ações que visam melhorar a nossa imagem no ambiente de trabalho. Aqui, não importa apenas a aparência, mas também comportamentos, atitudes, networking e preparação. Marketing pessoal é quando o profissional consegue utilizar suas habilidades e qualificações para se diferenciar, alavancar sua carreira, desenvolvendo uma marca pessoal.

Para que serve o marketing pessoal

O marketing pessoal serve para diversos fins aos profissionais que querem se destacar no mercado de trabalho. Ele pode ajudar a conquistar o primeiro emprego, a mudar de posição ou atingir objetivos específicos em seu emprego atual.

10 dicas para fazer marketing pessoal

1 – Defina seu objetivo

O primeiro passo é definir qual será o seu objetivo imediato (por exemplo, ser promovido). A partir disso, trace os passos necessários para atingi-lo. Pesquise junto a outras pessoas que já atingiram meta semelhante à sua se é preciso uma qualificação ou experiência mais específica, por exemplo.

2 – Melhore suas habilidades de comunicação

A habilidade de comunicação será necessária para qualquer objetivo traçado. Monitore-se para se expressar corretamente no ambiente de trabalho e, principalmente, de forma clara, evitando gírias. Se há jargão específico na sua área de atuação, busque dominá-lo e utilizá-lo corretamente em sua fala. Quando na modalidade escrita, utilize corretores de texto ou ferramentas online para ajudá-lo a não enviar e-mails ou redigir documentos com problemas de ortografia.

3 – Qualifique-se

Seja para conquistar um emprego ou uma nova posição, é preciso sempre se qualificar. Na internet, há excelentes materiais para ajudá-lo. Se necessário, invista também em cursos específicos da sua área de atuação. O mercado está cada vez mais competitivo e você precisará ter, além das qualificações comportamentais, qualificações técnicas sólidas para se destacar e atingir seus objetivos profissionais.

4 – Cuide do seu visual

Para trabalhar o seu marketing pessoal não é preciso, necessariamente, investir em roupas de grife, mas sim cuidar da aparência e da higiene. As mulheres precisam cuidar da maquiagem, que deve ser utilizada de forma discreta e sem exageros. O mesmo vale para o perfume, que não deve ser muito forte. Roupas não devem ser curtas ou muito decotadas. Os homens devem ter a barba feita.

5 – Aprenda a trabalhar em equipe

Esta é uma habilidade cada vez mais valorizada pelas empresas. Saber trabalhar em equipe demonstra flexibilidade e habilidade de relacionamento interpessoal para administrar conflitos.

6 – Seja simpático e empático

Dar bom dia, sorrir para as pessoas e ser prestativo são modos de demonstrar simpatia, de ser lembrado e de trabalhar o seu marketing pessoal. Ao se colocar no lugar do outro, seja seu chefe, colega ou mesmo o cliente de sua empresa, você estará sendo empático e isso poderá ajudá-lo a entender melhor as pessoas e a ter novas ideias para resolução de problemas.

7 – Cuide de sua imagem virtual

O marketing pessoal hoje está muito ligado à imagem virtual que temos. Os recrutadores, líderes e colegas de trabalho comumente verificam os perfis dos candidatos e colegas nas mídias sociais. Tenha cuidado com o tipo de postagem que você fará, evite compartilhar fotos ou informações muito pessoais. Utilize esse espaço para compartilhar cursos que você tenha feito ou artigos interessantes de sua área de atuação. Deixe as mídias sociais falarem bem de você.

8 – Mostre que você sabe resolver problemas e entregar valor

As empresas buscam colaboradores que sejam criativos e tenham habilidade para a resolução de problemas. Ao perceber que algum processo pode ser melhorado, elabore uma argumentação e apresente-a ao seu superior. Ajude seus colegas a resolverem problemas em sua rotina, exercite essa habilidade e se destaque por ser um solucionador de problemas , entregando valor à empresa.

9 – Seja comprometido

O comprometimento é um item básico, mas muitos profissionais acabam pecando nesse aspecto, desde o comprometimento com o horário até com prazos de tarefas a serem entregues. Mostre que você é comprometido com os objetivos da empresa e com suas atribuições atuais para que novas atribuições e desafios possam ser destinados a você.

10 – Faça networking

Trabalhe e amplie a sua rede de relacionamentos – ela tem uma grande importância para a vida profissional e é imprescindível para que seu marketing pessoal mostre resultados. Relacione-se com pessoas de sua área de atuação ou da área na qual você gostaria de trabalhar. Participe de eventos como palestras, cursos e seminários. Troque cartão de visitas. Ajude sua rede quando possível e mantenha sempre contato. Isso fará com que você seja lembrado e indicado para futuras oportunidades.

Fonte: Portal Pra Valer

5 dicas de mídias sociais que vão fazer a diferença no seu negócio

7 de junho de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

As mídias sociais oferecem, cada vez mais, novas formas de interação e de fazer negócios. A Hubspot separou 5 dicas de mídias sociais que vão transformar o seu negócio.

Assim como todas as plataformas digitais, estão em constante movimento, e estas mudanças afetam o comportamento do consumidor. Logo, as empresas precisam acompanhar as novidades, para entender essa dinâmica e o comportamento do seu público nesta movimentação, pois podem encontrar grandes oportunidades.

E como as empresas e profissionais da área digital conseguem acompanhar todas os novos lançamentos e informações, e decidir quais iniciativas podem fazer a diferença nos resultados dos seus negócios? Listamos aqui 5 dicas para você:

1) O poder não está na mídia escolhida, e sim no relacionamento com o público

O mais importante das mídias sociais são as pessoas, e o relacionamento que a sua marca constrói com elas. Muitas empresas focam nas novas funcionalidades, e estão sempre criando perfis nas novas mídias, tidas como a “mais nova tendência”. Não estou dizendo que não é importante estar atualizado. Mas, com toda certeza, focar no relacionamento com o público, na mídia de maior interesse dele, isso sim faz a diferença.

Quando você define suas personas, precisa entender aonde elas estão, como se comportam, e onde gostam de interagir com marcas e empresas. Ao criar um bom relacionamento com o seu público, ele vai seguir você, por uma ou mais mídias, e vai ficar cada vez mais leal à sua marca e mais disposto a experimentar o que você tem a oferecer. O relacionamento deve ser trabalhado a longo prazo, e o esforço vale a pena!

2) O Facebook vai continuar a comandar as mídias sociais por algum tempo

Não há dúvidas de que o Facebook continua liderando as mídias sociais. É claro, diferentes grupos preferem diferentes mídias, mas nosso colega Mark sabe analisar muito bem o mercado, e sempre adiciona features que fazem sucesso nas outras mídias, para fazer com que a gente continue por lá.

Muitos de nós estão no Instagram, Snapchat, LinkedIn… mas quantos de nós realmente deletamos nossas contas no Facebook? Quase ninguém, não é mesmo? Não podemos ficar de fora da maior força do mercado.

O Facebook, além de oferecer constantes atualizações no seu algoritmo, e com isso ditando as regras de como as empresas podem e devem interagir com seus fãs, também oferece ótimas oportunidades de anúncios, criação de grupos, além das suas novas opções: Facebook Stories, e a realidade virtual e aumentada que está dando o que falar.

3) Videos, vídeos, e mais vídeos

Estamos na era do vídeo, e a preferência por este conteúdo é crescente. De acordo com a CISCO, até 2020 82% do tráfego digital será iniciado por vídeos [PDF, em inglês]. E está aí mais um diferencial da mídia social: o Facebook e outras mídias dão cada vez mais visibilidade aos vídeos em seus feeds, além de estimular as empresas a investirem neste conteúdo.

Os lives também estão dando o que falar. O live streaming, ou os vídeos ao vivo, já estão no Facebook, Instagram, YouTube, sem mencionar o Periscope e Twitter. Quando algum perfil ou página inicia um vídeo ao vivo, estas plataformas ajudam a construir a audiência, avisando amigos ou seguidores sobre o vídeo.

4) Co-criação de conteúdo

As pessoas buscam empoderamento, e sentem-se extremamente motivadas quando têm a oportunidade de co-criar com suas marcas favoritas. Poucas marcas estão aproveitando esta oportunidade de ouro: ao oferecer a oportunidade de co-criação de conteúdo, ela explora outras audiências, oferece conteúdo mais autêntico, cria maior lealdade com o público, e ganha pontos onde muitas empresas falham: nas sugestões, comentários, elogios e críticas.

Hoje em dia, as pessoas até leem as descrições de produtos e serviços oferecidos pelas empresas. Mas, antes de tomar sua decisão de compra, conferem os comentários deixados por outros que já tiveram experiência com a mesma. Os clientes anteriores são os grandes influenciadores de compra atuais e, além das empresas não administrarem bem esta oportunidade, não aproveitam a chance de explorar associações positivas com a marca.

Existem muitas maneiras de trabalhar a co-criação de conteúdo, inclusive aproveitando a possibilidade do usuário conseguir criar conteúdo a qualquer hora, em qualquer lugar, através de dispositivos mobile: que tal convidá-lo a compartilhar suas percepções durante um almoço no seu restaurante, um evento na sua casa de shows, uma compra na sua loja, uma visita ao seu portal?

As possibilidades são infinitas para a criação de textos, imagens e vídeos. Com esta iniciativa, você pode aumentar o seu alcance, a qualidade do seu conteúdo, e conectar-se com micro influenciadores sociais.

5) O papel das mídias na sua estratégia de Inbound Marketing

As mídias sociais são ótimas ferramentas em todos – TODOS – os estágios do inbound. É claro, elas desempenham um papel fundamental para atrair e converter leads. É possível prospectar desconhecidos, entregar conteúdo aos leads e clientes certos, no momento certo, e gerar engajamento. E lembra-se do relacionamento? As mídias também podem ser utilizadas no relacionamento, de forma a tornar clientes satisfeitos em promotores da sua marca.

Existem diversas estratégias de mídias sociais a serem executadas durante a jornada de compra, e os estágios do funil de conteúdo.

Segundo o Estado do Inbound 2016, publicado pela HubSpot, os profissionais de marketing brasileiros não estão criando conteúdo que os consumidores realmente querem ver, ao mesmo tempo que 66% têm como maior desafio aumentar a quantidade de tráfego e leads gerados. Logo, podemos concluir que as empresas não estão utilizando as mídias como estratégia fundamental, nem de maneira correta, para atrair e converter leads.

O relatório também apresenta informações interessantes sobre os canais de distribuição de conteúdo que as empresas pretendem focar em 2017.

Pronto para alcançar mais resultados no seu negócio com as mídias sociais?

Estas e outras dicas podem ajudar o seu negócio, seja ele online ou offline. Não se esqueça do quanto é importante realizar um diagnóstico do mercado e público-alvo antes de colocar em práticas as suas estratégias, para aproveitar todas as oportunidades.

E, é claro, fique atento às novidades do mercado. As mídias sociais mudam diariamente, e você precisa manter-se atualizado para estar sempre pronto para oferecer a melhor experiência para o seu público!

Fonte: Hubspot

4 dicas essenciais na hora de pensar no design de embalagens

30 de maio de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Na hora de escolher um produto o indivíduo pode levar em consideração diversos fatores como preço, marca, quantidade, oferta e o design da embalagem. O foco de todos os fatores é o mesmo: chamar a atenção do indivíduo na hora da escolha e influenciar na decisão final pelo produto. E para se ter um bom resultado é importante considerar que é a embalagem que será responsável pela introdução do produto ao público, por isso nunca será perda de tempo investir nessa estratégia.

Atualmente, as opções são inúmeras e a diferença entre os produtos cada vez menos visível. O papel do design de embalagens é ter personalidade suficiente para cativar o cliente no ponto de venda entre tantos outras opções. Quantas vezes você já comprou um produto porque a embalagem era bonita ou criativa? Pois é.

Pensando nisso, aqui vão quatro dicas essenciais na hora de criar a embalagem do seu produto.

  1. Criatividade x Funcionalidade

Esse item pode soar conflitante, mas não necessariamente deva ser. É importante, no entanto, levar em consideração que a embalagem deve cumprir seu propósito. Se é uma caixa de suco, independente do seu design, ela precisa oferecer a melhor experiência para o usuário na hora do uso. Ser diferente é extremamente necessário, mas a inovação precisa ser aliada da funcionalidade.

  1. Explore Materiais

Os materiais utilizados devem ser escolhidos de acordo com o público-alvo, mas também carregam em si o posicionamento da marca. É sempre uma boa ideia prezar por materiais sustentáveis ou propor um meio de reciclagem/reutilização da embalagem para beneficiar o meio ambiente.

  1. Seja coerente: Embalagem, Rótulo e Produto

Uma das definições da palavra sincronia no dicionário é: qualidade do que ocorre ao mesmo tempo, podendo ter ou não uma relação entre si. No caso do design de embalagens, a embalagem, o rótulo e o produto precisam ter essa relação e conversar entre si de forma (visual e funcional) harmoniosa. A nossa Diretora de Arte, Fabiana Batista comenta que “…essa é a influência do Designer. Saber usar clains (destaque de palavras ou chamadas importantes) como ex: pague 300ml e leve 500ml. Além da diagramação, clareza de informação e bom gosto. Isso faz toda a diferença em uma embalagem!”.

  1. Menos is The New Black

A estética simples e minimalista agrega mais valor à embalagem conseguindo chamar a atenção do cliente de forma muito mais satisfatória do que uma estética carregada e poluída visualmente. Use as cores como cúmplices para remeter à sensações ou ter função de destaque visual para atrair o cliente. Elas são poderosas e a escolha delas está diretamente ligada ao objetivo maior do produto, assim como as palavras de destaque e chamadas importantes.

Como ter o melhor resultado?

Um bom resultado no design de embalagens é uma junção entre um bom planejamento e execução. Portanto, a escolha de uma equipe qualificada é papel fundamental para que a função de conversar diretamente com o cliente seja alcançada com sucesso pela embalagem. Afinal, também é através da embalagem que a marca chegará perto do cliente e desenvolverá um relacionamento.

Certamente você já deparou com algum design de embalagem que criamos, como algumas linhas da marca Bom Bril (Sapólio, Mon Bijou, Pinho Bril, Limpol, etc), Kopnhagem, Bunge Profissional, Brasil Cacau, materiais institucionais e de ponto de venda do Rei do Mate, entre tantos outros.

Se você estiver desenvolvendo ou quer dar uma cara nova a um produto, troca uma ideia com a gente. Nós da Opend – estratégia e design sob medida pra você – estamos há mais de 8 anos atuando com a criação e desenvolvimento de embalagens que ornam perfeitamente com sua e marca. Clica aí (http://opend.com.br/) e dá um oi pra gente.

Até a próxima e não deixe de dar uma espiadinha no blog, tem muitos outros conteúdos criados pensando em você.

Porque investir em Adwords e SEO para aumentar a exposição dos negócios

25 de maio de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

O Google é o maior site do mundo e maior rede de pesquisa online. Você sabia que existem formas diferentes de aparecer na primeira página do Google? Veja as dicas do portal Administradores que te ajudarão a investir corretamente no seu negócio.

As estratégias Adwords e SEO podem parecer investimentos opostos para que as marcas estejam no topo das pesquisas no Google. Fabio Ricotta, especialista em Marketing Digital de Performance, explica que estas estratégias são totalmente complementares. “Enquanto uma se baseia na compra de anúncios, a outra exige a criação de conteúdo de qualidade para conseguir resultados orgânicos”, explica o especialista, que lembra que o percentual de investimento em SEO e em links patrocinados deve ser atrelado ao estágio de desenvolvimento do produto ou serviço. “Um produto novo, que ainda precisa levantar demanda, terá que contar fortemente com a rede de display do Adwords”, destaca. Segundo Ricotta, não adianta a marca ou produto estar em primeiro lugar do Google na busca orgânica se este termo não for procurado por ninguém. O especialista conta os três principais motivos que fazem com que o SEO forme um casamento perfeito com os Adwords.

1 – Tráfego gratuito e de qualidade

O especialista ressalta que o bom posicionamento nos resultados orgânicos do maior site de busca do mundo permite que a marca tenha tráfego gratuito e de qualidade, ou seja, apenas de quem se interessa pelo seu produto ou segmento. “Quem está no primeiro ou segundo lugar do Google, para um termo de alto volume de busca mensal, vai ter muitas visitas sem a necessidade de se investir muito dinheiro em anúncios patrocinados”, destaca. O investimento em Adwords funciona justamente para que a marca chegue neste ponto.

2 – Otimização dos anúncios em longo prazo

Ricotta ensina que os resultados dos investimentos em SEO ocorrem em médio e longo prazo. “Em geral, os melhores resultados na busca orgânica costumam vir com o tempo, porque o trabalho de otimização de sites e geração de conteúdo de qualidade ganham força com o passar dos meses”, destaca. As melhores estratégias de SEO consistem em melhorar o conteúdo das páginas, manter o site sempre atualizado, com uma ótima experiência de navegação para o usuário. “É preciso escrever conteúdos otimizados, com os termos e palavras-chave que são mais utilizados pelos usuários no momento da busca”, alerta. Por fim, o especialista resume por que é importante investir em Adwords e SEO ao mesmo tempo. “Enquanto o primeiro traz resultados imediatos, o segundo colabora para o investimento em anúncio caia gradativamente nos meses seguintes”.

3 – Mais barato que o Adwords

O empreendedor mostra que o objetivo é que a empresa não tenha que investir pesadamente em anúncio quando os resultados de SEO começarem a aparecer. “Conforme se conquista competitividade alta no Adwords e uma demanda alta de buscas, o SEO é que vai precisar receber maiores investimentos, por conseguir ser mais barato que o Adwords no final do processo”.

Por fim, Ricotta ressalta que estas estratégias do Marketing Digital têm como um de seus pontos mais interessantes a possibilidade de mensurar a eficiência de uma campanha. “Você pode realizar testes para ver qual modelo de página converte melhor ou qual anúncio gera mais resultados, além de medir a taxa de conversão e otimizar as ações de marketing para atingir o melhor resultado”.

O empresário também ensina que uma estratégia completa de marketing digital deve contemplar diversas ações para melhoria do posicionamento nos resultados orgânicos e uma constante otimização nos anúncios de links patrocinados em busca do melhor retorno sobre o investimento. “Por isso, além de anunciar no Google, também é interessante explorar os anúncios patrocinados em redes sociais e sites de nicho que cedem espaço para publicidade”, conclui.

Fonte: Administradores

Como deixar seu cliente 100% satisfeito usando um bom briefing

23 de maio de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Em sua viagem de férias, você decidiu cair na estrada sozinho. O plano era dirigir até o litoral e acampar na praia por alguns dias e depois seguir. Porém, a estrada que você é familiarizado está interditada e outro caminho precisa ser feito. Por não conhecer as redondezas, você prefere adquirir um mapa rodoviário que está exposto na banca, entre vários formatos, tamanhos e cores. Ao perguntar para o vendedor qual deles seria o melhor, a resposta é simples: o mapa mais detalhado o levará ao seu destino sem o risco de se perder.

Na hora de desenvolver qualquer trabalho, a função de um briefing se assemelha a de um mapa. Ele é uma ferramenta super importante, com dados essenciais para saber como e onde se quer chegar. Informações como: quem é seu público, seu concorrente, como está o seu mercado ou qualquer pergunta importante para o processo de criação, é o que vai trazer os resultados esperados e ajudar no desenvolvimento da campanha, de forma prática.

​”Saber onde se quer chegar, com quem se quer comunicar, conhecer seus adversários, entender o que me torna diferente são armas importantes de venda, logo, para qualquer projeto o briefing é essencial pois sem esse direcionamento fica impossível dar um tiro certeiro”, comenta a Diretora de Arte da Opend, Fabiana Batista.

Acertando na elaboração de um briefing

Ainda de acordo com Fabiana, o briefing deve ser visto como item chave para o planejamento e precisa ser elaborado antes do início de qualquer projeto de criação. Além disso, ele será o norte em todo o processo de desenvolvimento.

Outro elemento importante é conhecer a fundo com quem você irá trabalhar e o cenário em que atua. Tendo isso em mente, recolha o máximo de informações. Qual é a missão, valores, público-alvo, produtos e concorrentes são algumas das perguntas que não podem faltar no seu briefing. A partir do perfil de cada um e de acordo com o contexto, as perguntas podem e devem variar.

Chegou a hora de conhecer o trabalho que seu cliente quer que seja criado e tentar organizar as ideias de forma prática. Fique atento aos detalhes. Eles podem fazer uma diferença gigantesca para o time ou pessoa que vai executá-lo. Entender por quais motivos a demanda apareceu, é um pontapé inicial que ampliará a visão do projeto. Por consequência, o objetivo final esperado pelo cliente poderá ser analisado de maneira nítida facilitando a criação e execução da tarefa.

As plataformas de veiculação irão definir os objetos de criação. Aqui existe um mundo de possibilidades. Entender o que o cliente busca em cada plataforma é a melhor forma de desenvolver um produto mais próximo de chamar a atenção público-alvo. Conheça também, o histórico do cliente nas mesmas plataformas. Se já foi feito algo similar antes e quais foram os resultados.

Por fim, os prazos. Desenvolva um cronograma de acordo com o tempo e recursos disponíveis, respeitando os processos e etapas de produção. Uma boa sugestão tentar prever as dificuldades e antecipar resoluções para não influenciar a agenda final. Se preciso, acrescente informações que você acha relevante ou que o cliente sugerir.

Mas preciso mesmo fazer um briefing?

O briefing não é obrigatório, mas aumenta muito a probabilidade de resultados satisfatórios, pois atua como facilitador na execução do trabalho. E uma última dica: o briefing pode ser um material a mais para o cliente conhecer melhor o seu próprio negócio. Dedique-se nesse processo, ouça seu cliente e se familiarize com ele.

Aqui na Opend – estratégia e design sob medida pra você – o seu briefing se torna realidade. Somos especialistas em transformar ideias e objetivos em soluções concretas para o seu negócio. Que tal bater um papo com a gente? Entre em contato conosco.

A Identidade Visual como estratégia de negócio

17 de maio de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Você sabia que a identidade visual pode ser um fator decisivo na escolha entre sua empresa e a concorrência? Uma identidade visual estrategicamente criada é aquela que consegue comunicar valores, ideais e a essência da empresa através da junção entre símbolos, cores, fontes e informação. Muitas empresas se preocupam com o plano de negócios, equipamentos, atendimento e deixam de lado essa ferramenta tão poderosa que é a identidade visual.

A sua marca deve transmitir visualmente qual seu segmento e o que você entrega, seja produto ou serviço. A primeira impressão sobre sua empresa tem tudo a ver com a imagem gráfica que ela representa, portanto, investir em uma criação profissional, criativa e inteligente da sua marca, fará toda a diferença na forma como será consumida no mercado.

A Diretora de Arte da Opend, Fabiana Batista comenta sobre a relevância desse processo “Não é demais falar que identidade visual é aquilo que define e torna uma pessoa ou empresa, produto ou serviço, único. Comunicar isso bem, de forma profissional e objetiva é o desafio de uma empresa que trabalha com Branding/Design.​”

Como criar a identidade visual ideal para minha empresa?

Antes da criação do logotipo e materiais de apoio, como: cartão de visitas, flyer, papel timbrado, pasta comercial, embalagens, etc, é preciso ter muito bem definido qual é a imagem que sua empresa quer passar. Independente do tamanho da sua empresa, seja de pequeno, médio ou grande porte, todo negócio tem o objetivo de entregar uma solução ao cliente, ou seja, para que sua identidade visual comunique simbolicamente, sua empresa deve ter muito claro, seus diferenciais.

Como a identidade visual é uma junção de informações e elementos, levar em consideração cores e fontes, por exemplo, pode ser algo que chame mais ou menos atenção para o seu negócio. Os símbolos comunicam, cada cor ou fonte tem um significado diferente.

No processo de criação a pesquisa desses elementos é feita de acordo com o mercado e o objetivo da empresa. “Basicamente ao termos as informações para seguir adiante, o desenho que irá representar tudo isso nascerá de pesquisas de signos, combinações de estilos tipográficos e cores que retratam a essa essência da empresa”, comenta Fabiana.

Padronização da Identidade Visual

Entendemos que a identidade visual de uma empresa ajuda os consumidores a reconhecer seus valores e diferenciais no mercado. Nosso subconsciente e emoções são o que determinam a compra, e os elementos visuais usados em uma identidade influenciam essa experiência. Por isso, é importante manter o padrão e a consistência na aplicação da sua marca.

Aplicar a sua identidade visual nos materiais de apoio, em todo tipo de divulgação, eventos e conteúdo é o que vai posicionar sua marca na mente do seu público-alvo. Se uma marca tem ligação direta com ações relevantes, a preferência do consumidor, é certa. Quem é visto, é lembrado. Apareça de forma consistente!

No portfolio da Opend estratégia e design sobre medida pra você., você pode conhecer várias marcas que foram criadas estrategicamente para posicionar empresas no mercado e gerar relevância na mente do consumidor. Sua empresa também pode fazer parte da nossa vitrine de cases de sucesso! Entre em contato conosco para a criação de identidade visual, embalagens e materiais de apoio.

As 10 habilidades de negociação essenciais para vendedores

11 de maio de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

De vendedor todo mundo tem um pouco, ou deveria ter. É muito importante saber como negociar sua ideia, produto ou serviço. Veja as dicas que a Hubspot preparou pra você aprender como negociar de maneira eficaz.

Você cotou um preço e enviou o contrato. Agora, é só o prospect assinar e o acordo estará feito. Você estava otimista durante as ligações de prospecção e acompanhamento.

Mas aí…recebe o e-mail temido: “Gostaria de conversar sobre alguns detalhes deste contrato antes de assinar.”

Mesmo que um vendedor tenha qualificado um prospect corretamente e gerenciado suas expectativas ao longo do processo de vendas, o acordo ainda poderá fracassar em uma negociação. O representante então precisa deixar de ser consultor para ser negociador e conduzir um acordo que seja bom para os dois lados, o dele e o da empresa do prospect.

Embora as negociações possam se arrastar em um número infinito de direções, os vendedores que dominarem as 10 habilidades de negociação a seguir estarão bem preparados para driblar as adversidades. Leia abaixo para ver uma explicação detalhada sobre cada habilidade.

1) Defina com antecedência as concessões que você está disposto a aceitar

No calor do momento, um desconto de 30% ou mais seis meses de suporte pode parecer perfeitamente aceitável. Só quando você volta para a sua mesa e começa a elaborar o contrato é que percebe que concordou com termos que não poderia ou deveria aceitar. Defina claramente os limites no descontos de preço, bônus ou outros acréscimos antes de se encontrar com seu prospect para ter certeza de que você chegará a um acordo vantajoso para ambos.

2) Deixe o prospect falar primeiro

Você apresentou os termos do acordo e o prospect gostaria de negociá-los. Deixe que ele inicie a conversa. Com a intenção de serem flexíveis, os vendedores geralmente ficam tentados a oferecer um desconto ou ajuste antes mesmo de o prospect abrir a boca. Mas você não sabe o que ele dirá! Assim como ocorre em outras áreas de vendas, vale a pena ouvir primeiro e só falar depois.

3) Não proponha um intervalo

Se o cliente preferir um desconto no preço da etiqueta do seu produto, não diga, “bem, provavelmente conseguirei reduzir o preço em 15 ou 20%”. Quem aceitaria 15% quando 20% foi oferecido? Sempre faça a cotação de um número ou valor específico e, em seguida, aumente ou diminua se for necessário. A palavra “entre” deve ser evitada a todo custo.

4) Evite dividir a diferença

De acordo com o especialista em vendas Art Sobczak, oferecer-se para dividir a diferença pode prejudicar mais do que se imagina. Por exemplo, se o produto ou serviço custa US$ 100 e o prospect quer um desconto de 50%, o vendedor não deve sugerir o valor de US$ 75 embora isso pareça o mais lógico a se fazer. Se o vendedor oferecer um leve desconto, mas ainda mantiver o número próximo ao preço original, o prospect provavelmente aceitará e a margem será maior para você.

5) Não coloque nada no papel até o término da conversa

As negociações podem se prolongar indefinidamente. Muitas ideias serão propostas, algumas serão aceitas, outras descartadas. Um vendedor deve ser sábio a ponto de só revisar o contrato no final da reunião e depois que todas as partes tiverem concordado verbalmente com os termos.

6) Negocie com o tomador de decisão

Essa dica pode parecer óbvia, mas, de acordo com John Holland, muitos vendedores cometem o erro de negociar com a pessoa errada. Isso significa que, quando a conversa começar com o verdadeiro tomador de decisão, ele provavelmente começará com o preço com desconto que já foi cotado na primeira reunião. Um ótimo resultado para o prospect, mas um péssimo negócio para o vendedor.

7) Obtenha algo em retorno pelas concessões

Relacionamentos saudáveis entre vendedor e cliente são baseados em respeito e confiança mútuos. Com isso em mente, os vendedores não devem aceitar cada uma das demandas de um prospect sem fazer suas próprias solicitações. Se forem capazes de manter a negociação interessante para ambos os lados, vendedores e clientes podem permanecer em condições de igualdade, o que é a base para um relacionamento vantajoso mútuo.

8) Expanda a conversa para além da questão financeira

O aspecto mais comumente negociado de uma venda é preço, então os vendedores devem estar preparados para falar sobre descontos. No entanto, como preço está atrelado a valor, e valor atrelado à percepção de um cliente e à satisfação com um produto, os vendedores devem considerar a oferta de outros itens ou bônus em vez de um preço menor. Tenha em mente que essa não é uma regra fácil e padronizada: as concessões específicas que um vendedor pode oferecer dependem da situação.

9) Mantenha o tom da conversa leve

Embora prospect e vendedor fiquem em lados opostos em uma mesa durante a negociação, eles serão parceiro se o negócio for assinado. Mantenha a conversa leve e agradável para evitar situações incômodas.

10) Afaste-se se for necessário

Vendedores não devem aceitar nenhuma situação desconfortável criada por prospects. Se as demandas não forem razoáveis ou lucrativas para a empresa, não tenha medo de se esquivar do negócio. Um cliente que só aceita assinar se o contrato for alterado radicalmente ou se o preço diminuir consideravelmente é mais propício a causar problemas mais adiante. E, como eles claramente não percebem muito valor na oferta, é apenas uma questão de tempo até se tornarem insatisfeitos. Desista pelo seu bem e o bem do prospect.

Fonte: HubSpot

5 dicas para otimizar a divulgação de produtos e conquistar os clientes certos

4 de maio de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Entre tanta concorrência no mercado, saber qual é o seu diferencial e como se destacar para conquistar os melhores clientes é um desafio. Aprenda mais sobre esse assunto com as dicas do portal Administradores.

Com as constantes mudanças no mundo digital, é muito comum que os empresários e empreendedores tenham dúvidas o tempo todo. As perguntas mais frequentes são relacionadas a anúncios, SEO e tráfego, como explica Diego Carmona, CVO da plataforma digital leadlovers, que oferece múltiplas ferramentas de simplificação e automatização de processos fundamentais para empreender online. No entanto, o especialista conta que as informações mais básicas podem não ser suficientes, e por isso listou algumas dicas importantes com detalhes que fazem toda a diferença.

1- Otimize termos com baixa concorrência

O conteúdo otimizado é importantíssimo para atrair tráfego. Ao ter um blog, com informações de tipos variados e táticas de SEO, aumentam-se as chances de ser encontrado pelo público certo por meio do Google. Afinal, segundo o Search Engine Journal, cerca de 70% dos links clicados por usuários de busca são orgânicos. No entanto, não basta escolher apenas as palavras-chave mais comuns e que mais se encaixam para o avatar, ou seja, o cliente ideal. “Tente ser mais criativo e aposte em termos que apresentam alto volume de buscas e baixa concorrência”, explica Carmona. Somente assim, segundo o empresário, o site terá mais probabilidade de aparecer bem ranqueado. “Faça uma lista dos sinônimos e variações da palavra ideal e coloque dentro do contexto”, explica, destacando a importância de não repetir uma palavra-chave infinitas vezes.

2- Use palavras-chave de cauda longa

Segundo Carmona, é importante que as palavras-chave usadas no conteúdo produzido sejam pensadas no longo prazo. Afinal, a maior parte do poder de ranqueamento de uma página está no uso correto de palavras-chave, junto com a autoridade do domínio da página. Segundo o especialista, as palavras-chave de cauda longa podem não gerar uma grande quantidade de tráfego absoluto. “Mas elas são responsáveis pelo tráfego direcionado e geralmente possuem uma taxa de conversão em leads mais alta”, completa. Por isso, o segredo é não utilizar apenas as palavras-chave mais buscadas pelo público, mas as expressões comuns relacionadas ao segmento, mesmo que sem grande procura. “Quando isso acontece, o Google entende que o seu blog ou site é um destino favorável para quem busca por um determinado assunto, e isso melhora o desempenho em SEO”, ensina. O especialista conta que existem ferramentas, como o autopreenchimento do Google, o Keyword Tool e o SEMRush que ajudam muito nisso.

3- Interaja com o público e crie promoções

Segundo Carmona, é muito importante que a interação com o público seja sempre estimulada. “Use as redes sociais, incentive o uso do espaço de comentários, e busque ter o máximo de retorno da audiência”, completa. Para criar um incentivo ainda maior, ele sugere oferecer códigos de desconto ou sortear produtos para aumentar os seguidores. “Tente sempre beneficiar aqueles que curtirem, compartilharem ou marcarem amigos, por exemplo”, explica. Independentemente do que é vendido dentro do negócio, o ideal é elaborar promoções atraentes com base no balanço das vendas e no que é possível ofertar ao público que mais interage.

4- Invista em Adwords com controle total

Carmona destaca também a importância de investir em SEO. “Investir em Adwords permite conseguir resultados mais rápidos e garante resultado significativo em tráfego”, explica. O segredo é fazer testes e controlar o dinheiro gasto e os resultados dos anúncios o tempo todo. “Tente perceber qual anúncio tem melhor desempenho, e controle o valor máximo que você deseja gastar”, sugere, destacando a importância de alterar a campanha para maximizar o retorno sobre o investimento. “Além disso, você pode configurar o orçamento para CPC – Custo por Clique, ou seja, você só paga se alguém clicar no anúncio”.

5- Automatize o funil de vendas

Uma das coisas mais importantes para qualquer negócio digital ou qualquer empreendimento que tenha investimento em marketing digital é utilizar um funil de vendas. O especialista conta que é possível obter o e-mail das pessoas como contato – o chamado lead – para manter contato com ele e, assim, criar um relacionamento da marca. “O e-mail não morreu, e continua funcionando muito bem como canal de comunicação direta”, explica.

A integração do e-mail com aplicativos e outras ferramentas dos smartphones ajudou-os a retomarem mais força. A criação do funil permite que cada contato seja colocado em um estágio diferente, conforme a situação dele: alguém que já comprou, que ainda é só um interessado, etc. “E os e-mails precisam ter apenas o conteúdo específico daquele estágio do funil, pois a premissa básica da comunicação por e-mail é entregar a mensagem certa para as pessoas certas”. O que Carmona explica que é que, para isso funcionar plenamente, é necessário automatizar o envio de e-mails. “Quem só baixou um e-book ou deu o e-mail no site talvez não esteja pronto para comprar seu produto, por isso você precisa oferecer informações em vez de tentar vender”, exemplifica. Como isso é praticamente impossível de ser feito manualmente, é preciso ter um processo automático, como explica Carmona, que tem esse objetivo com o leadlovers. “Além de criar páginas de captura e automatizar funil, oferecemos cursos e informações importantes para todos os tipos de empreendedores que querem ter resultados online”, conclui.

Fonte: Administradores

4 dicas rápidas de Email Marketing para sua loja virtual

26 de abril de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

O Resultados Digitais separou quatro dicas para você aprender como se relacionar através do email marketing, tanto para quem já tem uma lista de emails como para quem está começando. Aproveite!

Seja para engajar, relacionar-se, aumentar a taxa de conversão, enviar promoções, divulgar novidades ou diminuir a quantidade de carrinhos abandonados, o uso do Email Marketing para sua loja virtual é muito indicado. Com uma certa frequência, os clientes acessarão suas respectivas caixas de mensagens e é interessante que a sua loja esteja por lá, reforçando a comunicação. Muitas empresas já descobriram o valor do Email Marketing para sua loja virtual e, por isso, listamos algumas dicas para que esta ferramenta traga os melhores resultados e para que as mensagens sejam relevantes e não virem spam.

1. Atenção ao montar o mailing

Pode ser por meio de uma promoção, após a finalização de uma compra ou após uma visita. Elabore maneiras de incentivar o cadastro voluntário de clientes na sua lista de emails. Dessa forma, você garante uma base de pessoas interessadas. Este é o primeiro passo para campanhas eficazes e mensagens que não são consideradas spam. Além disso, é interessante incluir alguns campos de cadastro para identificar o perfil dos participantes do seu mailing e enviar a mensagem certa para os seus clientes. Lembre-se: a quantidade de campos deve ser pequena para não desencorajar o cliente. No caso dos cadastros feitos após uma compra, você mesmo – ou um sistema – pode incluir o que foi comprado, a pesquisa realizada e a frequência de compra do consumidor. Por fim, fuja das ofertas de comprar mailings prontos. Isso sujará a sua base de emails, pois trará muitas pessoas que não conhecem sua loja ainda e não pediram para receber seus emails.

2. Busque a melhor ferramenta de Email Marketing para sua loja virtual

É importante fazer os envios por meio de uma ferramenta de Email Marketing em vez de manualmente, pois uma plataforma entrega importantes dados sobre os envios – tais como taxa de abertura, de clique etc. – e que são importantes para gerar insights e informações para os próximos disparos. Além disso, é importante que a sua plataforma de Email Marketing e de e-commerce sejam integradas. Isso facilitará muito as suas ações.

3. Relevância é a sua palavra de ordem

Mande aquilo que for relevante para o seu cliente e que tenha ligação com a loja. Nesse sentido, é importante enviar promoções, lançamentos e outras informações ligadas à loja, mas também informações que estejam conectadas ao seu negócio e que ajudem o consumidor a resolver algum tipo de problema. Por exemplo, uma newsletter com dicas para combinar certo modelo de sapato, no caso de um e-commerce de calçados – e ainda é possível adicionar um link para um post do seu blog, que apresenta informações mais detalhadas, educando e engajando seu cliente. É importante que o cliente veja valor nas campanhas enviadas. Uma dica importante é combinar o tema do seu email com o perfil do seu cliente. Por exemplo, enviar um checklist para viajar com crianças para clientes de um e-commerce de artigos para viagem que são pais e assim por diante.

4. Enviar, testar, analisar, aprimorar e repetir

Aproveite os dados da plataforma que você escolheu para avaliar se você está atingindo os seus objetivos e, se não, o que precisa ser alterado. Além disso, não tenha preguiça de testar várias possibilidades de assunto de email, conteúdo, layout, horário e frequência de envio.

Coloque a mão na massa!

Agora que você já conhece algumas técnicas de Email Marketing, que tal botar a mão na massa e começar a aumentar as taxas de conversão em sua loja virtual?

Só com a prática será possível colher os frutos de um bom trabalho de Email Marketing. Lembre-se de testar antes do disparo e fique atento a todos os detalhes como links, imagens e texto para garantir que nada saía da planejado.

Fonte: Resultados Digitais