Lançamento do calendário 2018 do Santo Pet, nos apoiamos essa causa

18 de outubro de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Em prol de uma grande causa resolvemos escrever um artigo diferente, o Instituto Santo Pet irá lançar, no dia 21 de outubro, o seu calendário anual, criado com o objetivo de arrecadar fundos para custear os animais sob a responsabilidade do Instituto, que vive de doações e principalmente da boa vontade dos seus membros.

O Santo Pet é um cliente da Opend tanto na parte de design quanto em planejamento estratégico, “mas não é só por isso que apoiamos a causa, a idealizadora do projeto, Luanna Rizzo, é uma grande amiga e uma pessoa extraordinária. Acompanhamos todos os seus desejos e dramas com relação ao instituto e a cada ano que passa cresce a nossa admiração e respeito por ela”, enfatiza Ivan Alatxeve, diretor de relacionamento da Opend.

Para quem ainda não conhece o Santo Pet, o início de tudo foi em 2012 quando um grupo de amigos começou a prestar serviços voluntários a abrigos de animais. “Nessa época era tudo muito informal e com o passar dos anos o trabalho foi crescendo, mais pessoas foram juntando forças e então resolvemos que seria mais produtivo e responsável ter um cnpj. Passamos então, a comprar ração em distribuidores e conseguimos um local para tratar e hospedar os animais resgatados”, afirma Luanna Rizzo, idealizadora do Instituto.

O trabalho do Santo Pet hoje é voltado para resgate de animais em situação de maus tratos ou de abandono. O Instituto ainda auxilia a abrigos que precisem de apoio com alimentação, vacinação e remédios, desde que possam doar os animais aos mesmos, contribuindo com a diminuição de animais no local.

“Temos sob nossa responsabilidade 20 animais prontos para novas famílias (castrados e vacinados). Para manutenção do nosso trabalho, precisamos de cerca de 1.500 kg de ração por mês. Além disso, temos um investimento mensal de R$ 10 mil reais em estadia, clínica veterinária, e medicamentos para nossos “santinhos”, esclarece Luanna.

Como a ONG vive de doações, o calendário é uma das ações anuais realizada para arrecadar fundos para custear os animais sob a responsabilidade do Instituto, principalmente durante os meses de dezembro e janeiro, pois nesse período as doações caem muito, e o Santo Pet ainda precisa de ajuda.

O calendário é produzido a partir de 12 histórias reais de famílias que adotaram no Sto Pet. Uma grande característica da ação é mostrar como ficou a vida da família e do pet adotado, a fim de que mais pessoas se inspirem e adotem também.

O projeto envolve toda uma produção e conta com equipe de marketing, fotógrafos profissionais, jornalistas e o apoio de vários voluntários, que ajudam no processo.

Da uma passadinha por lá, compre o calendário e ajude a esta causa seria.

Mais informações no site do Instituto Santo Pet

SERVIÇO

Lançamento do calendário 2018 – Instituto Santo Pet
Local: Urban Guest São Paulo – Rua Lisboa, 493
Horário: das 12 às 19 horas

 

 

 

 

4 dicas para um Planejamento de Marketing que dá certo!

4 de julho de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Você está há três dias com fortes dores de cabeça e decide ir ao médico. Ao chegar no consultório, ele não troca mais que poucas palavras com você, não faz nenhum exame, passa um medicamento pra dor e manda você pra casa. Qual seria a sua reação? Você se sentiria satisfeito com a consulta? Que confiança você teria de que o medicamento iria resolver o seu problema?

Assim como um remédio, as ações de marketing são efetivas e produzem bons resultados. Porém é necessário um diagnóstico apurado, baseado nos exames e histórico do paciente para se receitar algo que seja de fato efetivo a curto e longo prazo. Na hora de pensar nas ações de marketing para uma empresa, seus produtos e serviços, o plano de marketing é o responsável por diagnosticar as necessidades e apontar os caminhos para ação. Quanto mais planejamento, mais assertivo serão as ações de marketing.

Não há um plano de marketing ideal ou modelo padrão, mas existem alguns pontos relevantes que se adaptam a qualquer segmento. Cada empresa possui suas características e especificidade, portanto cada plano de marketing é único e de acordo com o contexto que a empresa está inserida. É conhecendo a fundo a atuação e objetivos da empresa em questão que se poderá desenvolver ações que trarão resultados satisfatórios. Então, aqui vão 4 dicas para você

 

1) Olhe ao redor

Um bom planejamento exige uma análise do mercado de atuação da empresa e de seus concorrentes. A importância dessa etapa no planejamento, é conhecer as pontos fortes e fracos da esfera em que se atua ou que se quer atuar para assim aproveitar as lacunas e oferecer algo que tenha um diferencial. Aprender com os erros dos outros e não repeti-los evita o desperdício de investimento tanto de tempo como de recursos. Faça um apanhado dos bons exemplos de ações, as que mais bombaram e tiveram resultados positivos, isso auxilia na percepção e conhecimento do que os clientes gostam, ou seja, um vislumbre do caminho a seguir.

 

2) Olhe para dentro

Reconhecer suas forças e fraquezas dentro segmento em que sua empresa está inserida e em relação aos concorrentes é um ponto essencial. Mas, também é importante ser franco quanto a essência interna. Quais os objetivos da empresa? Como ela quer se posicionar no mercado? Como quer ser conhecida? Quais são seus valores e missão?

Fundamental também, é definir exatamente quem a empresa quer atrair. Quem é seu público e como ele se comporta? Os melhores resultados acontecem quando sabemos com quem queremos dialogar e quais são as necessidades dessas pessoas. Trace um perfil real de pessoas que pretende alcançar: seus hábitos, como consomem informação, suas dores, dúvidas, e até mesmo como entrarão em contato com sua empresa. Não há como atingir todo mundo de uma vez só, portanto seja específico, saiba quem é o seu cliente ideal.

 

3) Escolha as ferramentas certas

Este é o momento de definir estratégias e ações que serão construídas a partir do objetivo final da empresa. As possibilidades de ações são inúmeras, criatividade e mente aberta serão um diferencial na hora de definir quais ações terão melhor resultados. Marketing digital, offline, inbound, outbound, guerrilha, viral e por aí vai.

Leve em consideração também, o orçamento que sua empresa dispõe. Seja realista! Não adianta fazer planos mirabolantes e não poder executá-los.

Estabeleça um cronograma para a realização do plano de marketing e ações. Esse cronograma te ajudará a monitorar as ações e seus resultados proporcionando uma avaliação do que deu certo ou alteração do que precisa ser corrigido. Mudar o caminho no meio do percurso não é sinal de fracasso.  Imprevistos acontecem e precisam ser gerenciados da melhor forma. Tente detalhar ao máximo seu cronograma, desde as ações até quais ferramentas e pessoas serão necessárias para realizá-las.

 

4) Qualidade x Quantidade

A gente já sabe que tamanho não é documento faz tempo, certo? Logo, na hora de fazer um planejamento, não seja extenso e cansativo. Concentre-se no que precisa de atenção e nos detalhes importantes! Saiba filtrar as informações e ser objetivo para facilitar o entendimento e execução do plano. Quanto mais informação relevante, mais fácil será investir o tempo na prática de tirar as ideias do papel.

Se a sua marca precisa de um bom Planejamento de Marketing, analisando o mercado e definindo boas estratégias, a Opend – estratégia e design sob medida pra você – tem as melhores ações para te indicar. Deixe suas dúvidas nos comentários e entre em contato com a gente!

Porque investir em Adwords e SEO para aumentar a exposição dos negócios

25 de maio de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

O Google é o maior site do mundo e maior rede de pesquisa online. Você sabia que existem formas diferentes de aparecer na primeira página do Google? Veja as dicas do portal Administradores que te ajudarão a investir corretamente no seu negócio.

As estratégias Adwords e SEO podem parecer investimentos opostos para que as marcas estejam no topo das pesquisas no Google. Fabio Ricotta, especialista em Marketing Digital de Performance, explica que estas estratégias são totalmente complementares. “Enquanto uma se baseia na compra de anúncios, a outra exige a criação de conteúdo de qualidade para conseguir resultados orgânicos”, explica o especialista, que lembra que o percentual de investimento em SEO e em links patrocinados deve ser atrelado ao estágio de desenvolvimento do produto ou serviço. “Um produto novo, que ainda precisa levantar demanda, terá que contar fortemente com a rede de display do Adwords”, destaca. Segundo Ricotta, não adianta a marca ou produto estar em primeiro lugar do Google na busca orgânica se este termo não for procurado por ninguém. O especialista conta os três principais motivos que fazem com que o SEO forme um casamento perfeito com os Adwords.

1 – Tráfego gratuito e de qualidade

O especialista ressalta que o bom posicionamento nos resultados orgânicos do maior site de busca do mundo permite que a marca tenha tráfego gratuito e de qualidade, ou seja, apenas de quem se interessa pelo seu produto ou segmento. “Quem está no primeiro ou segundo lugar do Google, para um termo de alto volume de busca mensal, vai ter muitas visitas sem a necessidade de se investir muito dinheiro em anúncios patrocinados”, destaca. O investimento em Adwords funciona justamente para que a marca chegue neste ponto.

2 – Otimização dos anúncios em longo prazo

Ricotta ensina que os resultados dos investimentos em SEO ocorrem em médio e longo prazo. “Em geral, os melhores resultados na busca orgânica costumam vir com o tempo, porque o trabalho de otimização de sites e geração de conteúdo de qualidade ganham força com o passar dos meses”, destaca. As melhores estratégias de SEO consistem em melhorar o conteúdo das páginas, manter o site sempre atualizado, com uma ótima experiência de navegação para o usuário. “É preciso escrever conteúdos otimizados, com os termos e palavras-chave que são mais utilizados pelos usuários no momento da busca”, alerta. Por fim, o especialista resume por que é importante investir em Adwords e SEO ao mesmo tempo. “Enquanto o primeiro traz resultados imediatos, o segundo colabora para o investimento em anúncio caia gradativamente nos meses seguintes”.

3 – Mais barato que o Adwords

O empreendedor mostra que o objetivo é que a empresa não tenha que investir pesadamente em anúncio quando os resultados de SEO começarem a aparecer. “Conforme se conquista competitividade alta no Adwords e uma demanda alta de buscas, o SEO é que vai precisar receber maiores investimentos, por conseguir ser mais barato que o Adwords no final do processo”.

Por fim, Ricotta ressalta que estas estratégias do Marketing Digital têm como um de seus pontos mais interessantes a possibilidade de mensurar a eficiência de uma campanha. “Você pode realizar testes para ver qual modelo de página converte melhor ou qual anúncio gera mais resultados, além de medir a taxa de conversão e otimizar as ações de marketing para atingir o melhor resultado”.

O empresário também ensina que uma estratégia completa de marketing digital deve contemplar diversas ações para melhoria do posicionamento nos resultados orgânicos e uma constante otimização nos anúncios de links patrocinados em busca do melhor retorno sobre o investimento. “Por isso, além de anunciar no Google, também é interessante explorar os anúncios patrocinados em redes sociais e sites de nicho que cedem espaço para publicidade”, conclui.

Fonte: Administradores

Como deixar seu cliente 100% satisfeito usando um bom briefing

23 de maio de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Em sua viagem de férias, você decidiu cair na estrada sozinho. O plano era dirigir até o litoral e acampar na praia por alguns dias e depois seguir. Porém, a estrada que você é familiarizado está interditada e outro caminho precisa ser feito. Por não conhecer as redondezas, você prefere adquirir um mapa rodoviário que está exposto na banca, entre vários formatos, tamanhos e cores. Ao perguntar para o vendedor qual deles seria o melhor, a resposta é simples: o mapa mais detalhado o levará ao seu destino sem o risco de se perder.

Na hora de desenvolver qualquer trabalho, a função de um briefing se assemelha a de um mapa. Ele é uma ferramenta super importante, com dados essenciais para saber como e onde se quer chegar. Informações como: quem é seu público, seu concorrente, como está o seu mercado ou qualquer pergunta importante para o processo de criação, é o que vai trazer os resultados esperados e ajudar no desenvolvimento da campanha, de forma prática.

​”Saber onde se quer chegar, com quem se quer comunicar, conhecer seus adversários, entender o que me torna diferente são armas importantes de venda, logo, para qualquer projeto o briefing é essencial pois sem esse direcionamento fica impossível dar um tiro certeiro”, comenta a Diretora de Arte da Opend, Fabiana Batista.

Acertando na elaboração de um briefing

Ainda de acordo com Fabiana, o briefing deve ser visto como item chave para o planejamento e precisa ser elaborado antes do início de qualquer projeto de criação. Além disso, ele será o norte em todo o processo de desenvolvimento.

Outro elemento importante é conhecer a fundo com quem você irá trabalhar e o cenário em que atua. Tendo isso em mente, recolha o máximo de informações. Qual é a missão, valores, público-alvo, produtos e concorrentes são algumas das perguntas que não podem faltar no seu briefing. A partir do perfil de cada um e de acordo com o contexto, as perguntas podem e devem variar.

Chegou a hora de conhecer o trabalho que seu cliente quer que seja criado e tentar organizar as ideias de forma prática. Fique atento aos detalhes. Eles podem fazer uma diferença gigantesca para o time ou pessoa que vai executá-lo. Entender por quais motivos a demanda apareceu, é um pontapé inicial que ampliará a visão do projeto. Por consequência, o objetivo final esperado pelo cliente poderá ser analisado de maneira nítida facilitando a criação e execução da tarefa.

As plataformas de veiculação irão definir os objetos de criação. Aqui existe um mundo de possibilidades. Entender o que o cliente busca em cada plataforma é a melhor forma de desenvolver um produto mais próximo de chamar a atenção público-alvo. Conheça também, o histórico do cliente nas mesmas plataformas. Se já foi feito algo similar antes e quais foram os resultados.

Por fim, os prazos. Desenvolva um cronograma de acordo com o tempo e recursos disponíveis, respeitando os processos e etapas de produção. Uma boa sugestão tentar prever as dificuldades e antecipar resoluções para não influenciar a agenda final. Se preciso, acrescente informações que você acha relevante ou que o cliente sugerir.

Mas preciso mesmo fazer um briefing?

O briefing não é obrigatório, mas aumenta muito a probabilidade de resultados satisfatórios, pois atua como facilitador na execução do trabalho. E uma última dica: o briefing pode ser um material a mais para o cliente conhecer melhor o seu próprio negócio. Dedique-se nesse processo, ouça seu cliente e se familiarize com ele.

Aqui na Opend – estratégia e design sob medida pra você – o seu briefing se torna realidade. Somos especialistas em transformar ideias e objetivos em soluções concretas para o seu negócio. Que tal bater um papo com a gente? Entre em contato conosco.

A Identidade Visual como estratégia de negócio

17 de maio de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Você sabia que a identidade visual pode ser um fator decisivo na escolha entre sua empresa e a concorrência? Uma identidade visual estrategicamente criada é aquela que consegue comunicar valores, ideais e a essência da empresa através da junção entre símbolos, cores, fontes e informação. Muitas empresas se preocupam com o plano de negócios, equipamentos, atendimento e deixam de lado essa ferramenta tão poderosa que é a identidade visual.

A sua marca deve transmitir visualmente qual seu segmento e o que você entrega, seja produto ou serviço. A primeira impressão sobre sua empresa tem tudo a ver com a imagem gráfica que ela representa, portanto, investir em uma criação profissional, criativa e inteligente da sua marca, fará toda a diferença na forma como será consumida no mercado.

A Diretora de Arte da Opend, Fabiana Batista comenta sobre a relevância desse processo “Não é demais falar que identidade visual é aquilo que define e torna uma pessoa ou empresa, produto ou serviço, único. Comunicar isso bem, de forma profissional e objetiva é o desafio de uma empresa que trabalha com Branding/Design.​”

Como criar a identidade visual ideal para minha empresa?

Antes da criação do logotipo e materiais de apoio, como: cartão de visitas, flyer, papel timbrado, pasta comercial, embalagens, etc, é preciso ter muito bem definido qual é a imagem que sua empresa quer passar. Independente do tamanho da sua empresa, seja de pequeno, médio ou grande porte, todo negócio tem o objetivo de entregar uma solução ao cliente, ou seja, para que sua identidade visual comunique simbolicamente, sua empresa deve ter muito claro, seus diferenciais.

Como a identidade visual é uma junção de informações e elementos, levar em consideração cores e fontes, por exemplo, pode ser algo que chame mais ou menos atenção para o seu negócio. Os símbolos comunicam, cada cor ou fonte tem um significado diferente.

No processo de criação a pesquisa desses elementos é feita de acordo com o mercado e o objetivo da empresa. “Basicamente ao termos as informações para seguir adiante, o desenho que irá representar tudo isso nascerá de pesquisas de signos, combinações de estilos tipográficos e cores que retratam a essa essência da empresa”, comenta Fabiana.

Padronização da Identidade Visual

Entendemos que a identidade visual de uma empresa ajuda os consumidores a reconhecer seus valores e diferenciais no mercado. Nosso subconsciente e emoções são o que determinam a compra, e os elementos visuais usados em uma identidade influenciam essa experiência. Por isso, é importante manter o padrão e a consistência na aplicação da sua marca.

Aplicar a sua identidade visual nos materiais de apoio, em todo tipo de divulgação, eventos e conteúdo é o que vai posicionar sua marca na mente do seu público-alvo. Se uma marca tem ligação direta com ações relevantes, a preferência do consumidor, é certa. Quem é visto, é lembrado. Apareça de forma consistente!

No portfolio da Opend estratégia e design sobre medida pra você., você pode conhecer várias marcas que foram criadas estrategicamente para posicionar empresas no mercado e gerar relevância na mente do consumidor. Sua empresa também pode fazer parte da nossa vitrine de cases de sucesso! Entre em contato conosco para a criação de identidade visual, embalagens e materiais de apoio.

As 10 habilidades de negociação essenciais para vendedores

11 de maio de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

De vendedor todo mundo tem um pouco, ou deveria ter. É muito importante saber como negociar sua ideia, produto ou serviço. Veja as dicas que a Hubspot preparou pra você aprender como negociar de maneira eficaz.

Você cotou um preço e enviou o contrato. Agora, é só o prospect assinar e o acordo estará feito. Você estava otimista durante as ligações de prospecção e acompanhamento.

Mas aí…recebe o e-mail temido: “Gostaria de conversar sobre alguns detalhes deste contrato antes de assinar.”

Mesmo que um vendedor tenha qualificado um prospect corretamente e gerenciado suas expectativas ao longo do processo de vendas, o acordo ainda poderá fracassar em uma negociação. O representante então precisa deixar de ser consultor para ser negociador e conduzir um acordo que seja bom para os dois lados, o dele e o da empresa do prospect.

Embora as negociações possam se arrastar em um número infinito de direções, os vendedores que dominarem as 10 habilidades de negociação a seguir estarão bem preparados para driblar as adversidades. Leia abaixo para ver uma explicação detalhada sobre cada habilidade.

1) Defina com antecedência as concessões que você está disposto a aceitar

No calor do momento, um desconto de 30% ou mais seis meses de suporte pode parecer perfeitamente aceitável. Só quando você volta para a sua mesa e começa a elaborar o contrato é que percebe que concordou com termos que não poderia ou deveria aceitar. Defina claramente os limites no descontos de preço, bônus ou outros acréscimos antes de se encontrar com seu prospect para ter certeza de que você chegará a um acordo vantajoso para ambos.

2) Deixe o prospect falar primeiro

Você apresentou os termos do acordo e o prospect gostaria de negociá-los. Deixe que ele inicie a conversa. Com a intenção de serem flexíveis, os vendedores geralmente ficam tentados a oferecer um desconto ou ajuste antes mesmo de o prospect abrir a boca. Mas você não sabe o que ele dirá! Assim como ocorre em outras áreas de vendas, vale a pena ouvir primeiro e só falar depois.

3) Não proponha um intervalo

Se o cliente preferir um desconto no preço da etiqueta do seu produto, não diga, “bem, provavelmente conseguirei reduzir o preço em 15 ou 20%”. Quem aceitaria 15% quando 20% foi oferecido? Sempre faça a cotação de um número ou valor específico e, em seguida, aumente ou diminua se for necessário. A palavra “entre” deve ser evitada a todo custo.

4) Evite dividir a diferença

De acordo com o especialista em vendas Art Sobczak, oferecer-se para dividir a diferença pode prejudicar mais do que se imagina. Por exemplo, se o produto ou serviço custa US$ 100 e o prospect quer um desconto de 50%, o vendedor não deve sugerir o valor de US$ 75 embora isso pareça o mais lógico a se fazer. Se o vendedor oferecer um leve desconto, mas ainda mantiver o número próximo ao preço original, o prospect provavelmente aceitará e a margem será maior para você.

5) Não coloque nada no papel até o término da conversa

As negociações podem se prolongar indefinidamente. Muitas ideias serão propostas, algumas serão aceitas, outras descartadas. Um vendedor deve ser sábio a ponto de só revisar o contrato no final da reunião e depois que todas as partes tiverem concordado verbalmente com os termos.

6) Negocie com o tomador de decisão

Essa dica pode parecer óbvia, mas, de acordo com John Holland, muitos vendedores cometem o erro de negociar com a pessoa errada. Isso significa que, quando a conversa começar com o verdadeiro tomador de decisão, ele provavelmente começará com o preço com desconto que já foi cotado na primeira reunião. Um ótimo resultado para o prospect, mas um péssimo negócio para o vendedor.

7) Obtenha algo em retorno pelas concessões

Relacionamentos saudáveis entre vendedor e cliente são baseados em respeito e confiança mútuos. Com isso em mente, os vendedores não devem aceitar cada uma das demandas de um prospect sem fazer suas próprias solicitações. Se forem capazes de manter a negociação interessante para ambos os lados, vendedores e clientes podem permanecer em condições de igualdade, o que é a base para um relacionamento vantajoso mútuo.

8) Expanda a conversa para além da questão financeira

O aspecto mais comumente negociado de uma venda é preço, então os vendedores devem estar preparados para falar sobre descontos. No entanto, como preço está atrelado a valor, e valor atrelado à percepção de um cliente e à satisfação com um produto, os vendedores devem considerar a oferta de outros itens ou bônus em vez de um preço menor. Tenha em mente que essa não é uma regra fácil e padronizada: as concessões específicas que um vendedor pode oferecer dependem da situação.

9) Mantenha o tom da conversa leve

Embora prospect e vendedor fiquem em lados opostos em uma mesa durante a negociação, eles serão parceiro se o negócio for assinado. Mantenha a conversa leve e agradável para evitar situações incômodas.

10) Afaste-se se for necessário

Vendedores não devem aceitar nenhuma situação desconfortável criada por prospects. Se as demandas não forem razoáveis ou lucrativas para a empresa, não tenha medo de se esquivar do negócio. Um cliente que só aceita assinar se o contrato for alterado radicalmente ou se o preço diminuir consideravelmente é mais propício a causar problemas mais adiante. E, como eles claramente não percebem muito valor na oferta, é apenas uma questão de tempo até se tornarem insatisfeitos. Desista pelo seu bem e o bem do prospect.

Fonte: HubSpot

5 dicas para otimizar a divulgação de produtos e conquistar os clientes certos

4 de maio de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Entre tanta concorrência no mercado, saber qual é o seu diferencial e como se destacar para conquistar os melhores clientes é um desafio. Aprenda mais sobre esse assunto com as dicas do portal Administradores.

Com as constantes mudanças no mundo digital, é muito comum que os empresários e empreendedores tenham dúvidas o tempo todo. As perguntas mais frequentes são relacionadas a anúncios, SEO e tráfego, como explica Diego Carmona, CVO da plataforma digital leadlovers, que oferece múltiplas ferramentas de simplificação e automatização de processos fundamentais para empreender online. No entanto, o especialista conta que as informações mais básicas podem não ser suficientes, e por isso listou algumas dicas importantes com detalhes que fazem toda a diferença.

1- Otimize termos com baixa concorrência

O conteúdo otimizado é importantíssimo para atrair tráfego. Ao ter um blog, com informações de tipos variados e táticas de SEO, aumentam-se as chances de ser encontrado pelo público certo por meio do Google. Afinal, segundo o Search Engine Journal, cerca de 70% dos links clicados por usuários de busca são orgânicos. No entanto, não basta escolher apenas as palavras-chave mais comuns e que mais se encaixam para o avatar, ou seja, o cliente ideal. “Tente ser mais criativo e aposte em termos que apresentam alto volume de buscas e baixa concorrência”, explica Carmona. Somente assim, segundo o empresário, o site terá mais probabilidade de aparecer bem ranqueado. “Faça uma lista dos sinônimos e variações da palavra ideal e coloque dentro do contexto”, explica, destacando a importância de não repetir uma palavra-chave infinitas vezes.

2- Use palavras-chave de cauda longa

Segundo Carmona, é importante que as palavras-chave usadas no conteúdo produzido sejam pensadas no longo prazo. Afinal, a maior parte do poder de ranqueamento de uma página está no uso correto de palavras-chave, junto com a autoridade do domínio da página. Segundo o especialista, as palavras-chave de cauda longa podem não gerar uma grande quantidade de tráfego absoluto. “Mas elas são responsáveis pelo tráfego direcionado e geralmente possuem uma taxa de conversão em leads mais alta”, completa. Por isso, o segredo é não utilizar apenas as palavras-chave mais buscadas pelo público, mas as expressões comuns relacionadas ao segmento, mesmo que sem grande procura. “Quando isso acontece, o Google entende que o seu blog ou site é um destino favorável para quem busca por um determinado assunto, e isso melhora o desempenho em SEO”, ensina. O especialista conta que existem ferramentas, como o autopreenchimento do Google, o Keyword Tool e o SEMRush que ajudam muito nisso.

3- Interaja com o público e crie promoções

Segundo Carmona, é muito importante que a interação com o público seja sempre estimulada. “Use as redes sociais, incentive o uso do espaço de comentários, e busque ter o máximo de retorno da audiência”, completa. Para criar um incentivo ainda maior, ele sugere oferecer códigos de desconto ou sortear produtos para aumentar os seguidores. “Tente sempre beneficiar aqueles que curtirem, compartilharem ou marcarem amigos, por exemplo”, explica. Independentemente do que é vendido dentro do negócio, o ideal é elaborar promoções atraentes com base no balanço das vendas e no que é possível ofertar ao público que mais interage.

4- Invista em Adwords com controle total

Carmona destaca também a importância de investir em SEO. “Investir em Adwords permite conseguir resultados mais rápidos e garante resultado significativo em tráfego”, explica. O segredo é fazer testes e controlar o dinheiro gasto e os resultados dos anúncios o tempo todo. “Tente perceber qual anúncio tem melhor desempenho, e controle o valor máximo que você deseja gastar”, sugere, destacando a importância de alterar a campanha para maximizar o retorno sobre o investimento. “Além disso, você pode configurar o orçamento para CPC – Custo por Clique, ou seja, você só paga se alguém clicar no anúncio”.

5- Automatize o funil de vendas

Uma das coisas mais importantes para qualquer negócio digital ou qualquer empreendimento que tenha investimento em marketing digital é utilizar um funil de vendas. O especialista conta que é possível obter o e-mail das pessoas como contato – o chamado lead – para manter contato com ele e, assim, criar um relacionamento da marca. “O e-mail não morreu, e continua funcionando muito bem como canal de comunicação direta”, explica.

A integração do e-mail com aplicativos e outras ferramentas dos smartphones ajudou-os a retomarem mais força. A criação do funil permite que cada contato seja colocado em um estágio diferente, conforme a situação dele: alguém que já comprou, que ainda é só um interessado, etc. “E os e-mails precisam ter apenas o conteúdo específico daquele estágio do funil, pois a premissa básica da comunicação por e-mail é entregar a mensagem certa para as pessoas certas”. O que Carmona explica que é que, para isso funcionar plenamente, é necessário automatizar o envio de e-mails. “Quem só baixou um e-book ou deu o e-mail no site talvez não esteja pronto para comprar seu produto, por isso você precisa oferecer informações em vez de tentar vender”, exemplifica. Como isso é praticamente impossível de ser feito manualmente, é preciso ter um processo automático, como explica Carmona, que tem esse objetivo com o leadlovers. “Além de criar páginas de captura e automatizar funil, oferecemos cursos e informações importantes para todos os tipos de empreendedores que querem ter resultados online”, conclui.

Fonte: Administradores

4 dicas rápidas de Email Marketing para sua loja virtual

26 de abril de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

O Resultados Digitais separou quatro dicas para você aprender como se relacionar através do email marketing, tanto para quem já tem uma lista de emails como para quem está começando. Aproveite!

Seja para engajar, relacionar-se, aumentar a taxa de conversão, enviar promoções, divulgar novidades ou diminuir a quantidade de carrinhos abandonados, o uso do Email Marketing para sua loja virtual é muito indicado. Com uma certa frequência, os clientes acessarão suas respectivas caixas de mensagens e é interessante que a sua loja esteja por lá, reforçando a comunicação. Muitas empresas já descobriram o valor do Email Marketing para sua loja virtual e, por isso, listamos algumas dicas para que esta ferramenta traga os melhores resultados e para que as mensagens sejam relevantes e não virem spam.

1. Atenção ao montar o mailing

Pode ser por meio de uma promoção, após a finalização de uma compra ou após uma visita. Elabore maneiras de incentivar o cadastro voluntário de clientes na sua lista de emails. Dessa forma, você garante uma base de pessoas interessadas. Este é o primeiro passo para campanhas eficazes e mensagens que não são consideradas spam. Além disso, é interessante incluir alguns campos de cadastro para identificar o perfil dos participantes do seu mailing e enviar a mensagem certa para os seus clientes. Lembre-se: a quantidade de campos deve ser pequena para não desencorajar o cliente. No caso dos cadastros feitos após uma compra, você mesmo – ou um sistema – pode incluir o que foi comprado, a pesquisa realizada e a frequência de compra do consumidor. Por fim, fuja das ofertas de comprar mailings prontos. Isso sujará a sua base de emails, pois trará muitas pessoas que não conhecem sua loja ainda e não pediram para receber seus emails.

2. Busque a melhor ferramenta de Email Marketing para sua loja virtual

É importante fazer os envios por meio de uma ferramenta de Email Marketing em vez de manualmente, pois uma plataforma entrega importantes dados sobre os envios – tais como taxa de abertura, de clique etc. – e que são importantes para gerar insights e informações para os próximos disparos. Além disso, é importante que a sua plataforma de Email Marketing e de e-commerce sejam integradas. Isso facilitará muito as suas ações.

3. Relevância é a sua palavra de ordem

Mande aquilo que for relevante para o seu cliente e que tenha ligação com a loja. Nesse sentido, é importante enviar promoções, lançamentos e outras informações ligadas à loja, mas também informações que estejam conectadas ao seu negócio e que ajudem o consumidor a resolver algum tipo de problema. Por exemplo, uma newsletter com dicas para combinar certo modelo de sapato, no caso de um e-commerce de calçados – e ainda é possível adicionar um link para um post do seu blog, que apresenta informações mais detalhadas, educando e engajando seu cliente. É importante que o cliente veja valor nas campanhas enviadas. Uma dica importante é combinar o tema do seu email com o perfil do seu cliente. Por exemplo, enviar um checklist para viajar com crianças para clientes de um e-commerce de artigos para viagem que são pais e assim por diante.

4. Enviar, testar, analisar, aprimorar e repetir

Aproveite os dados da plataforma que você escolheu para avaliar se você está atingindo os seus objetivos e, se não, o que precisa ser alterado. Além disso, não tenha preguiça de testar várias possibilidades de assunto de email, conteúdo, layout, horário e frequência de envio.

Coloque a mão na massa!

Agora que você já conhece algumas técnicas de Email Marketing, que tal botar a mão na massa e começar a aumentar as taxas de conversão em sua loja virtual?

Só com a prática será possível colher os frutos de um bom trabalho de Email Marketing. Lembre-se de testar antes do disparo e fique atento a todos os detalhes como links, imagens e texto para garantir que nada saía da planejado.

Fonte: Resultados Digitais

 

Neuromarketing e Marketing de Conteúdo: o segredo para se comunicar melhor!

25 de abril de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Somos bombardeados por informações o dia inteiro e inconscientemente consumidos por toda publicidade que nos cerca. Anúncios na TV, na revista, no ônibus, na rede social, no papel, na caneta, em quase todo lugar. Mesmo assim, na hora de consumir produtos e serviços, temos a nossa preferência pessoal ou como a maioria, seguimos indicações. Estamos consumindo o tempo todo! Porque então, escolhemos uma marca ao invés de outra? Um site de notícias ao invés de outro? Por tradição, familiaridade ou será que somos influenciados pelo marketing?

Nosso cérebro não para, tomamos uma decisão após outra, escolhas que muitas vezes não tem justificativa, mas estão sempre presente. A verdade é que a maioria das coisas que consumimos são escolhidas de maneira irracional e inconsciente, através de nossas emoções. Se um produto ativar nossa memória nostálgica, pronto, compramos.

Neuromarketing é o estudo sobre o comportamento do consumidor. Quando unimos ciência e marketing, é possível entender como funciona a lógica do consumo e principalmente como criar produtos e serviços mais relevantes e intuitivos. Trazendo essa realidade para o seu negócio, não seria incrível poder gerar conteúdo, produtos e serviços que o seu público alvo realmente quer consumir? O segredo é relacionamento.

O que tudo isso tem a ver com Marketing de Conteúdo?

 Tudo. Se nosso objetivo é aprender a criar uma conversa e consequentemente gerar engajamento e vendas ao invés de simplesmente falar o tempo todo sobre o que você vende, o caminho mais assertivo é trabalhar um conteúdo relevante. Como usuários, nós também ignoramos e não gostamos quando uma marca força a barra e quer nos induzir a comprar algo que não temos interesse algum. Então, porque parece difícil ter como base esse argumento antes de gerar qualquer tipo de informação para nosso cliente? Aprenda a se aproximar de quem entra em contato com sua marca.

Qualidade ao invés de quantidade. Não importa quantas postagens por dia você faz nas suas redes sociais, mas sim, qual o barulho que essa postagem vai causar na sua comunidade. Não se preocupe com quantas vezes você posta um artigo no seu blog, mas na qualidade do seu texto. É claro que quanto mais conteúdo, melhor, mas o resultado que você procura para sua empresa é que o seu público se identifique com a sua marca e se lembre de você como a principal opção na hora da compra.

Para criar relacionamento através do seu conteúdo, aposte em textos, imagens, vídeos e informações que norteiam o universo do seu segmento. Fale menos sobre o que você vende e mais sobre novidades, dicas, inspiração, curiosidades, tudo relacionado ao seu mercado. Porque não criar um tema para cada dia da semana? Isso vai te ajudar muito no seu planejamento estratégico!

Relacionamento é a alma do negócio

A forma de se comunicar muda, o jeito de falar, as plataformas, ferramentas, tudo isso muda. Mas no fim, somos humanos e nos relacionamos. É através de uma linguagem mais próxima, respondendo dúvidas e encontrando as soluções para a dor do seu público alvo que iremos conseguir criar uma conversa e ser referência no mercado. Aprenda a questionar e ouvir seu cliente! Somente entendendo quem é o seu público e quais são as suas preferências é que sua marca vai se tornar a queridinha na mente do consumidor.

A Opend pode te ajudar nessa jornada. Diagnosticamos o seu negócio e fazemos toda a estratégia de comunicação. E assim será mais fácil criar conteúdo relevante e totalmente segmentado para o seu nicho. Vamos bater um papo sobre sua estratégia digital? O café é por nossa conta. Entre em contato por aqui!

 

Lições do esporte que inspiram carreiras de sucesso

4 de agosto de 2016 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Não é possível falar de esportes, carreira e superação sem citar o Bernadinho, o maior símbolo de que carreira se constrói com estudo, treinamento e determinação.

Um homem que é inspiração pura, seus gestos dentro e fora de quadra se transformaram numa bíblia pra qualquer empreendedor, empresário, estudante, atleta e pra quem mais necessitar de inspiração para a vida.

Além de uma das personalidades mais consagradas do esporte mundial, ele é atualmente um dos palestrantes mais bem remunerado do país.

Entre os inúmeros assuntos que circulam na internet sobre a relação entre carreia e olimpíadas, acompanhe o artigo publicado na integra no portal UOL:

O que as Olimpíadas nos ensinam sobre carreira? Veja 3 lições dos esportes

Um dos maiores eventos esportivos do mundo, os Jogos Olímpicos recebem os olhares de milhões de pessoas a cada quatro anos. Neste mês, atletas dos quatro cantos do planeta se reúnem no Rio de Janeiro para competir por medalhas e entrar para a história, mas não é apenas pelo espetáculo e pela emoção que merecem a nossa atenção: eles também podem nos deixar lições muito valiosas para colocarmos em prática em nossa carreira.

Confira algumas dicas que podem ser aplicadas ao nosso dia a dia de trabalho:

1 – Visão de futuro

Sem título

Para os atletas, uma Olimpíada sempre começa quatro anos antes, quando a anterior acaba, e eles têm uma percepção muito clara de quais são os seus objetivos. Um bom exemplo é o nadador norte-americano Michael Phelps, que, antes dos Jogos de Pequim (China), em 2008, declarou que a sua meta era conquistar oito medalhas de ouro, pois o recordista anterior em um único evento, o seu compatriota Mark Spitz, tinha sete. Ou seja, Phelps foi específico em sua visão.

Mas o que podemos aprender com isso? Todo profissional, independentemente do ramo de atuação, precisa ter a sua própria visão de futuro, precisa traçar um plano de carreira para definir aonde pretende estar em um, cinco ou dez anos.

E isso não depende apenas da empresa, mas, principalmente, do profissional. Afinal, se você não souber o que deseja, como vai alcançar suas metas?

2 – Equilíbrio emocional

É a tal “inteligência emocional”. Todos os atletas treinam muito e alguns deles chegam com chances iguais de subir ao pódio. Mas o que será que faz a diferença para conquistar a tão desejada medalha de ouro? Certamente, é a forma como lidam com a emoção no momento decisivo.

Atletas de diversos países da Europa, por exemplo, são vistos como “pessoas frias”, mas, na verdade, são mais concentrados e treinados no ponto de vista emocional. Quando tudo está bem, conseguimos ter ideias criativas, e os pensamentos bons fluem.

É isso que os atletas nos ensinam o tempo todo: precisamos ter inteligência emocional para lidar com os momentos de pressão e de crise. Assim como nas competições, o ambiente corporativo oferece técnicas e treinamentos semelhantes, porém uns “tropeçam” por falta de autocontrole, enquanto outros se superam para conquistar o sucesso.

3 – Disciplina

Não adianta nada ter uma visão de futuro se não tiver disciplina para fazer acontecer. Ter concentração significa saber lidar com os fatos difíceis, pragmáticos e com a realidade. É fazer o sacrifício que for necessário para alcançar a meta. Cada atleta, durante quatro anos antes de uma Olimpíada, treina em média oito horas por dia – alguns treinam muito mais. Um dia sem treino é um segundo, um golpe ou um ponto para longe da medalha. Muitas pessoas desejam o sucesso profissional, mas não correm atrás de seus objetivos.

“Nós somos o que repetidamente fazemos. Excelência, portanto, não é um ato, mas um hábito.”

Frase atribuída a Aristóteles, filósofo grego

Ouça os conselhos de Aristóteles, se inspire na dedicação de Phelps e procure fazer tudo de forma excelente todos os dias. Assim como uma medalha de ouro, o sucesso no mundo corporativo não surge do nada, é preciso muita inspiração e, principalmente, transpiração.

Mais assuntos relacionados ao tema:

Mundo do Marketing – Lições de atletas e gestores

Mundo do Marketing – Lições dos esportes influenciam a gestão

Veja matéria do UOL na integra

O que as olimpíadas nos ensinam sobre carreiraa-3-licoes-dos-esportes.htm

 

O fenômeno Pokémon GO: quando o real se confunde com o virtual

28 de julho de 2016 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Podemos considerar o Pokemon GO como o maior fenômeno de IoT – Internet das coisas (Internet of Things)? Bem, essa é uma definição da minha cabeça, mas vou tentar definir a internet das coisas, para que você possa se posicionar.

Segundo a revista Computerworld, “IoT significa apenas um ambiente que reúne informações de vários dispositivos (computadores, veículos, smartphones, semáforos, e quase qualquer coisa com um sensor) e de aplicações (qualquer coisa desde uma aplicação de mídia social como o Twitter a uma plataforma de comércio eletrônico, de um sistema de produção a um sistema de controlo de tráfego)”.

O blog da VR SYS, agência digital define que a IoT permite a interligação de objetos do mundo real com o mundo virtual por meio de sensores (RFID). O principal objetivo é ofertar intercomunicação dos objetos entre si trocando informações sobre status, localização, funcionalidades, problemas, etc. Algoritmos serão responsáveis por processar essas informações e gerar uma grande quantidade de dados (big data) que serão armazenados em potentes servidores na nuvem. Bem, qualquer semelhança é mera coincidência, não é mesmo?

Um bom exemplo de IoT, são os tênis de corridas que se comunicam com o APP no smartphone e publicam o seu itinerário durante uma corrida. Vocês já devem ter visto algum amigo publicando instantaneamente, os seus trajetos na rede social, correto?

Mas o tema sobre IoT é extenso, complexo e necessita de muito estudo e pesquisa, então deixaremos para um próximo conteúdo. Vamos voltar para o Pokémon, veja abaixo a matéria publicada na integra no Correio Braizliense:

Pokémon GO chegou para ficar? Saiba mais sobre o fenômeno

Mais popular que Twitter e Tinder, aplicativo promove socialização e atividade física. Porém, o jogo também tem se mostrado potencialmente perigoso

20160716124748311502a
Fenômeno Pokémon GO tem capturado usuários em todo o mundo

Localizado no centro da ilha de Manhattan, em Nova York, o Central Park é, discutivelmente, o parque urbano mais famoso do mundo. Entre as atrações do local por onde passam anualmente cerca de 40 milhões de pessoas, entre nativos e turistas, estão a paisagem bucólica, exposições, música ao vivo e pokémons.

Isso não foi um erro de digitação. Nas últimas duas semanas, desde que Pokémon GO foi lançado, o Central Park, assim como outras localidades não tão famosas assim, têm sido – literalmente – invadidas por milhares de pessoas que agora têm em mãos o mais próximo que já tiveram de tornar realidade o sonho de ser um “grande treinador”.

Aspirantes a treinadores em Barcelona
Aspirantes a treinadores em Barcelona

O jogo, disponível para smartphones (ainda não lançado no Brasil) aposta na realidade aumentada, isto é, as famosas criaturinhas virtuais, como Pikachu, Bulbassauro, Charizard e tantas outras, são geradas virtualmente e “aparecem” em ambientes reais como o Central Park, o banheiro da sua casa, cozinhas de restaurante, etc.

Não há como escapar do clichê: “Fenômeno” e “febre” são, de fato, as palavras mais indicadas para descrever o que está acontecendo com Pokémon GO. Apesar de ter sido oficialmente lançado apenas nos Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia, o aplicativo já se tornou mais popular que o Instagram, o Twitter, Snapchat, Facebook e até o Tinder, ou seja, há mais pessoas interessadas em encontrar o Pikachu do que a alma gêmea.

Para se ter uma ideia, em números, do sucesso de Pokémon Go, o jogo aumentou o valor de mercado da Nintendo, dona da franquia, em nove bilhões de dólares em apenas alguns dias.

Além de todo o sucesso financeiro e popularidade, o jogo tem sido elogiado pelo aspecto social e físico que promove aos usuários ao tirá-los de casa, fazê-los correr atrás dos bichinhos e trocar dicas com outros treinadores sobre a melhor maneira de encontrá-los e evoluí-los.

Caça ou caçador

Apesar de todos os aspectos positivos e possibilidades abertas pela dinâmica apresentada por Pokémon GO, o uso do aplicativo também têm se mostrado potencialmente perigoso, levantando questões sobre segurança.

Nos EUA, no Estado do Tennessee, uma campanha foi criada alertando para que motoristas não dirijam e tentem capturar pokémons ao mesmo tempo. Já nas redes sociais, usuários têm relatado pequenos acidentes, como cair em buracos, valas e torções no tornozelo ao tentar encontrar as criaturas em locais menos convenientes.

Sem título

Além disso, a polícia tem avisado aos usuários sobre riscos de roubo e sequestro, recomendando sempre jogar Pokémon GO com um amigo e não aceitar a companhia de estranhos indicando locais afastados onde viram um pokémon raro. Em um macabro acontecimento na semana passada, ao tentar capturar um pokémon aquático, um jogador de 19 anos dos Estados Unidos encontrou um corpo afogado em um rio.

Tem muito mais conteúdo atual sobre o mundo virtual e outros diversos assuntos sobre comunicação. Não deixe de acompanhar o blog da Opend – Agência de branding (estratégia e design).

 

Música e publicidade: uma combinação inseparável

26 de julho de 2016 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Já imaginou um comercial de cerveja, de roupas, assessórios, automóveis, ou seja qual for o tema, sem música? Impossível, não é mesmo? A música não compõe somente o comercial depois de pronto, muitas vezes ela pode ditar todo o norte da campanha através da letra, estando no roteiro e na mente de quem cria como um caminho criativo.

A música afeta o nosso comportamento tanto para motivar como para desmotivar, acalmar, acelerar, etc., e mesmo quem não curte tanto um som pode se sentir afetado por ela. Isso depende do local de onde se escuta, da ocasião e do seu momento de vida. Muitos casais levam por todos os anos de relacionamento as recordações afetivas proporcionadas por certas canções.

Apresentamos alguns exemplos de comerciais que se tornaram mais significativos do que os próprios clipes originais de certas canções e embalaram marcas e produtos pelo conjunto da obra.

Em alguns casos, a trilha roubou o próprio comercial e devolveu em forma de fixação com a marca.

Veja alguns comerciais que são exemplos perfeitos de harmonização entre música e marca

WranglerComercial Noviça

Quem não se lembra do comercial da Wrangler, dos anos 80, estrelado pela atriz Luciana Vendramini, com o tema “Can’t take my eyes off you”? A música representou no comercial a perfeita sensação de quebra de paradigma e de fixação com a marca de jeans, que levou a noviça a sair do convento com calça que havia ganhado.

Claro Teste – Should I Stay or Should I Go?

A campanha Claro Teste, de 2009, é embalada com muita pertinência pela clássica “Should I Stay or Should I Go?”, da banda inglesa The Clash, que foi um dos ícones do movimento punk na década de 80.

A escolha da trilha criada pela agência AlmapBBDO e dirigida pelo cineasta Heitor Dalia se encaixou perfeitamente no comercial porque ambos trabalharam com a ideia de dúvida, que era exatamente a sensação que a empresa queria passar.

Mitsubishi Pajero – Forever Young

Uma das músicas mais conhecidas da banda alemã Alphaville, “Forever Young”, embalou o filme da Pajero TR4U, “Lama faz bem”, no qual mostrava várias pessoas com o rosto coberto de lama cantando baixinho e sem empolgação, o que dava a impressão de que o comercial poderia ser de algum produto de tratamento estético, até explodir na energia de um super carro desbravando trilhas enlameadas.

O comercial, assinado pela agência Africa, destaca as principais qualidades do carro e o poder que ele tem de tornar as pessoas mais felizes e rejuvenescidas.

Nescafé Dolce Gusto – Sex Machine

Em 2009 a Nescafé Dolce Gusto incorporou James Brown e colocou suas cafeteiras para dançar ao som de “Get up (I feel like being a) sex machine”.

O filme, lançado para anunciar a parceria entre a Nestlé e a Krups, fabricante alemã de máquinas de café, é aberto com a voz do próprio cantor, que anuncia “Fellas, I’m ready to get up and do my thing”.

Um comercial que estimula o desejo do consumo, de forma simples e empolgante. A música tem um grande astral e a proposta foi de associar a vivacidade da máquina que prepara cafés com uma “Sex Machine”.

Conheçam algumas opções de streaming de músicas por US$ 4,99 ao mês

Selecionamos três delas que são os que temos mais conhecimento. Observem que praticamente todas têm o mesmo valor de mensalidade e mesmos acervos e quantidades de música; o que varia são as funcionalidades e disposições de cada App. Seu tipo de aparelho (plataforma) pode influenciá-lo a preferir um ou outro App.

Apple Music lançada há exatamente um ano, em julho de 2015, a plataforma de streaming de músicas infinitas, chegou para suprir uma deficiência da Apple e concorrer com os outros Apps que vinham dominando o mercado da música. Foi um grande passo para a gigante norte-americana, já que apenas um álbum do iTunes, sua plataforma que já vem disponível no iOS, custava em média de US$ 9,90, sendo que os principais concorrentes têm infinitas músicas por apenas US$ 4,99 ao mês.

Os recursos do Apple Music variam conforme o país. Hoje a plataforma disponibiliza mais de 30 milhões de músicas aos seus usuários e os valores se comparam às suas principais concorrentes, pelo menos no Brasil.

Spotify contando atualmente também com mais de 30 milhões de músicas em seu acervo, o Spotify é considerado o streaming que mais possibilita o usuário a descobrir novas músicas e com o modelo mais intuitivo. O Spotify foi lançado em outubro de 2008 pela Startup sueca Spotify AB. A empresa tem sede em Londres e lida com pesquisa e desenvolvimento em Estocolmo.

O App pode ser acessado através de várias plataformas como Microsoft Windows, Mac OS X, GNU/Linux, iOS, Android, Palm, Windows Phone, Symbian OS, PlayStation 3, Playstation 4 e tem o custo no Brasil de R$ 14,90 por mês.

Deezer é o serviço com a presença editorial mais forte de todos os indicados aqui. A seção “Playlists escolhidas para você” adota um formato no estilo revista, com playlists selecionadas e uma rica gama de informações sobre as faixas, como letras para acompanhar e cantar no estilo karaokê.

O Deezer também usa essa seção para trazer novos guias, em que são produzidos vídeos de apresentações ao vivo de novos artistas, além de biografias e discografias de artistas.

A plataforma de música mais antiga das avaliadas, criada em 2007 na França, conta com um acervo de mais de 35 milhões de músicas e também pode ser adquirida por R$ 14,90 por mês. O App pode ser acessado a partir de praticamente todas as tecnologias possíveis, como Android, iOS, Windows Phone, Bang & Olufsen, Blackberry, BMW ConnectedDrive, Bose SoundTouch e SoundLink Audio products, Google Chromecast, Denon,JAMBOX, Logitech Squeezebox,OS X (Currently Still in Beta), Panasonic TV, Philips TV, Rocki, Smarthfones, Xbox 360, Windows Lumia, entre outros

Sendo assim, pesquise bem antes de escolher a sua streaming favorita, mesmo porque assim que baixar uma delas e começar a sincronizar as músicas, você poderá criar suas próprias playlists. E se algum dia decidir mudar para outro streaming, não será possível ouvir mais as suas listas na plataforma anterior, o que faz de você um dependente do App que tiver as suas músicas preferidas.

Tá esperando o que? Vai lá, liga o som e comece a aflorar as suas ideias!

 

 

 

7 truques super úteis que vão aprimorar o seu uso do WhatsApp

14 de julho de 2016 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Dicas simples e super úteis que irão torna-ló um expert no assunto. Sim sabemos que você já domina essa técnica, aliás usamos o aplicativo para tudo nessa vida, só falta ele saber cozinhar rsrs

Dados recentes mostram que o comunicador instantâneo é responsável por 13% do tráfego móvel de dados no Brasil. Ele faz parte de um seleto grupo responsável por enviar e receber quase 80% de tudo que é consumido na internet móvel brasileira. O top cinco dos apps mais “acessados” tem ainda Facebook, responsável por 28% dos dados, Chrome 16%, YouTube 15% e Instagram 6%.

Confira o artigo na integra publicado na Revista Exame – Tecnologia

Dá para acreditar que o WhatsApp está em nossas vidas há apenas cinco anos? Às vezes é difícil lembrar de como era a vida sem ele, numa época longínqua em que a gente usava os telefones para… falar! Agora é difícil encontrar alguém no Brasil que não use esse aplicativo para trocar mensagens, mandar nudes fotos, receber notícias e até – por que não? –  falar.

Para aproveitar o app ao máximo, separamos sete dicas de ouro, que talvez você ainda não conheça. Tome nota:

  1. Você pode favoritar mensagens para acha-las mais facilmente

Você está lá no grupo que marcou uma festa para o fim de semana, e sabe que alguém mandou o endereço de onde vai ser a balada, mas faz uns 4 dias e 653 mensagens já foram enviadas depois dessa… que barra. Se você usar o recurso de favoritar, fica fácil achar essas mensagens importantes.

Para favoritar é fácil: pressione seu dedo em cima da mensagem até aparecer um menu. Daí você clica na estrelinha que fica do lado esquerdo, e pronto.

Para ler as mensagens favoritas, vá em Ajustes e depois em Mensagens Marcadas. Pronto!

  1. Desativar o “visto pela última vez” e o sinalzinho de lido

Se você cansou de ser cobrada porque leu uma mensagem e não respondeu, ou se não quer que saibam quando foi a última vez que você ficou online, é fácil. Vá em Ajustes > Conta > Privacidade e lá escolha “Visto por Último – Ninguém” e desative o recibo de leitura.

A única desvantagem é que você também não vai mais ver essas informações dos seus contatos. Privacidade para todos!

  1. Ver dia e hora em que suas mensagens foram lidas

Agora, se você é fã dos dois tiquezinhos azuis e vai deixá-los bem onde estão, sabia que dá para descobrir a data e hora exatas que sua mensagem foi lida? Basta deslizar seu dedo sobre a mensagem para a esquerda. Vai abrir um menu com data e hora que a mensagem foi entregue e lida.

  1. Descobrir exatamente onde as pessoas estão

Quem nunca ficou com o telefone na mão tentando achar onde os amigos estavam durante o carnaval, ou procurando um bar loucamente? Chega de “É depois da casinha amarela! Aqui em frente ao carro azul!”. Basta pedir que eles te enviem a localização, e você recebe um mapinha. Fácil, né?

Para mandar sua localização, basta clicar na setinha que fica do lado esquerdo na conversa, e escolher “Compartilhar localização”. Veja se o mapa está correto e clique em “Envie sua localização”.

  1. Toques diferentes para diferentes conversas

Cada uma das suas conversas pode ter um alerta diferente, assim você sabe “quem incomoda” antes mesmo de olhar o celular. É assim: entre na conversa, clique no nome da pessoa ou do grupo e vá em “Notificações”.

Lá você pode escolher um som para quando recebe mensagens, e outro para quando a pessoa te liga.

  1. Economizar seu plano de dados

Sim. Chega de ficar baixando vídeos pelo WhatsApp com seu 3G ou 4G e ver o limite chegando cedo demais. Vá em Ajustes > Uso de Dados e escolha as coisas que você só quer que sejam baixadas quando estiver conectado no Wi-Fi. Imagens, áudio, vídeos, documentos.

Você pode também reduzir o uso de dados nas ligações.

  1. Você pode usar negrito, itálico e riscar palavras

Se você quer chamar a atenção para algo na sua mensagem, não precisa mais ESCREVER GRITANDO. Pode usar os mesmos recursos que a gente usa em textos normais: negrito, itálico e riscar palavras.

É fácil. Se quiser usar negrito, coloque a palavra (ou a frase) entre asteriscos. Então *esse trecho* sairia em negrito no Chat. O itálico _é assim com dois underscore, ou underline_, e o riscado ~é assim entre dois til~.

Artigo publicado na Exame – Tecnologia

Dicas imperdíveis e tutoriais da TechTudo

10 truques da BBC Brasil para usar melhor o WhatsApp

Não deixe de ler os outros artigos do blog! Tem muito conteúdo exclusivo que foi desenvolvido pensando em você 😀

 

Você sabe o que é inbound marketing?

12 de julho de 2016 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Conheça o formato mais eficaz de atrair novos consumidores ao seu negócio

Quer saber qual a ferramenta de marketing mais usada atualmente pela Opend para divulgar seus serviços e atrair novos clientes? A resposta é simples: inbound marketing! Um tipo de marketing considerado por muitos como a forma mais eficiente e barata do que o marketing comum, que tem o propósito de atrair o consumidor a realizar uma compra ao invés de induzi-lo, através de técnicas de marketing online.

O inbound marketing realiza uma série de ações indiretas para atrair diretamente o seu público, através de conteúdo especializado.

Você entrega conteúdos relevantes sobre os seus serviços, negócios e/ou propósitos e as pessoas consomem este conteúdo por ter relação com o tema ou por ser o que procuravam. Um marketing menos invasivo e que pode aumentar a chance de conversão.

Assim, esse formato atinge pessoas que realmente se interessam por aquela mensagem e podemos dizer que tudo gira em torno do conteúdo. Conteúdos de verdade e relevantes que geram leads para o seu site e, consequentemente, engajamento, já que a pessoa chegou a esse conteúdo por ser o que ele procurava e não ao contrário.

Existe um ciclo de trabalho bem definido por agências e empresas que praticam o inbound marketing:

Planejar e estruturar os temas (pautas) – esse é o primeiro passo para trabalhar o inbound marketing. As pautas têm que estar em conjunto com o momento / tempo do seu negócio e da sua empresa.

Saiba qual o seu público alvo – como construir conteúdo direcionado e de qualidade sem saber quem é o seu público? Um passo fundamental para acertar o seu público é saber quem ele é.

Desenvolver os conteúdos – a partir desses temas já planejados e ter um blog para publicá-los.

Blogs – são o meio mais direto para atrair novos visitantes para o seu site. Os blogs devem estar linkados com o seu site para alimentá-lo automaticamente.

Redes sociais – esse mesmo conteúdo deve ser pulverizado em seus canais de comunicação, como redes sociais, observando cada tipo de chamada, a que tenha mais a ver com o tipo de rede.

SEO/Palavras-chave – significa otimização de pesquisas de buscas e visa potencializar e melhorar o posicionamento de um site nas páginas de resultados naturais (orgânicos) nos sites de busca. Para ter melhores resultados com o SEO é preciso escolher muito bem as palavras-chave que serão utilizadas em seus artigos.

Site – é o seu cartão de visitas, sua empresa virtual, que deve espelhar todos os seus produtos e serviços de forma clara, consistente e com conteúdo de qualidade. Normalmente é através do site que o consumidor decide se vai prosseguir com o contato com o seu negócio ou não.

Vantagens do inbound marketing

Pesquisas recentes apontam que o inbound gasta 62% menos em cada lead gerado do que o marketing tradicional. Outros números também já provaram que as taxas de conversão do inbound são gradualmente melhores. Essas taxas maiores de conversão, mesmo gastando menos, acontecem porque o público interessado no seu negócio já chegou até você e logo está mais propenso a comprar.

Conheça os estágios do inbound marketing

Como mostramos acima existem várias formas de fazer inbound marketing e cada uma delas se encaixa nos estágios abaixo delineados:

  1. Atrair clientes em potencial, que acarreta tráfego para o seu site;
  2. Converter esses visitantes em leads;
  3. Converter os leads em vendas;
  4. Fidelizar clientes, através de monitoramento de redes sociais, novos conteúdos, newsletter, entre outros;
  5. Encantar clientes e transformá-los em fomentadores da sua marca.

Tentamos apresentar o conceito de forma clara e sem palavras que somente quem é do meio conhece, de modo que esperamos que tenha relevância e sirva para alavancar os seus negócios.

Agora que você já tem uma noção sobre o tema, abra a sua mente e comece a praticar o marketing digital de conteúdo. Existem várias empresas especializadas no assunto que podem te auxiliar.

Não deixe de dar uma espiadinha nos outros artigos do blog, tem muita coisa legal, feita pensando em você.

O fenômeno entre os jovens chamado SNAPCHAT

6 de julho de 2016 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Entenda por que o modelo de “rede social” que mais ganha seguidores atualmente não se considera uma rede social.

São muitos os motivos que levam o Snapchat a ganhar cada vez mais adeptos, alguns deles como: a privacidade, o fato de ser momentâneo (efêmero), por apagar o conteúdo postado em 24 horas e por não ser considerado como rede social, graças ao usuário não ter que interagir com ninguém, são os principais fatores que fazem do aplicativo um fenômeno entre os jovens da atualidade.

O Snap, como é conhecido, vem se tornando o queridinho também entre blogueiros e profissionais de comunicação, como os praticantes do inbound marketing, que usam a ferramenta para divulgar sua rotina de trabalho e ganham muitos seguidores com essas ações.

Confira o artigo na integra publicado pela BBC Brasil:

Três razões que explicam o sucesso do Snapchat entre o público jovem

O aplicativo Snapchat, criado em 2011 pelo americano Evan Spiegel quando tinha apenas 11 anos, ficou conhecido inicialmente pela preocupação que causou em pais de crianças e adolescentes.

Sua popularidade entre estudantes ocorreu principalmente pelo uso da ferramenta para trocas de imagens sexuais.

Mas Spiegel, em uma entrevista à BBC em 2013, disse que a controvérsia não impediria o Snapchat de ser um sucesso. E ele não estava errado.

O aplicativo tem mais de 700 milhões de usuários em torno do mundo, mas chama a atenção por seu poder de fogo nos EUA: cerca de 100 milhões de pessoas usam o aplicativo diariamente no país. E 86% delas têm menos de 35 anos.

Por isso, o Snapchat ficou conhecido com o “aplicativo dos millenials“. E se transformou em uma plataforma estratégica para empresas e até políticos – na corrida presidencial, por exemplo, ambos os pré-candidatos do Partido Democrata, Bernie Sanders e Hillary Clinton, fazem uso do Snapchat em suas campanhas.

Sem título
Snapchat é muto usado na campanha da Hillary Clinton

Mas por que o Snapchat faz tanto sucesso entre os jovens? Além de ser gratuito, claro.

  1. Privacidade

“Nós complicamos a tarefa dos pais de envergonharem seus filhos”, disse Spiegel durante uma conferência no ano passado.

Para alguém se registrar no Snapchat, somente é preciso um número de telefone e um apelido. E a única maneira de se encontrar um usuário é conhecendo este apelido.

Segundo a especialista em redes sociais da Universidade Princeton, Ryan Maguire, uma era digital carregada de informações que vão se acumulando ao longo do tempo, como acontece no Facebook, fez com que jovens se preocupassem mais em se comunicar com amigos mais próximos do que contar suas histórias para o mundo.

“Os usuários querem compartilhar experiências com pessoas que escolhem e sem a necessidade de que esse conteúdo seja armazenado”, disse uma usuária de Snapchat ao portal de notícias Business Insider.

2. Efêmero

Ao contrário do Facebook, que é capaz de armazenar fotografias e vídeos desde a data em que o usuário abriu seu perfil, o Snapchat apaga seu conteúdo a cada 24 horas. Analistas de mídias sociais afirmam que o fato de nenhum conteúdo prevalecer oferece mais liberdade e faz com que histórias e comentários sejam mais naturais e divertidos.

Se um usuário envia um snap a outra pessoa, a mensagem só poderá ser vista duas vezes. E se o receptor esquecer-se de clicar, a mensagem será destruída em 30 dias. Para empresas e veículos de mídia, essas condições apresentam uma oportunidade de interação, mas ela é desafiadora, já que o conteúdo precisa captar rapidamente a atenção dos usuários.

  1. Não é uma rede social

Os usuários do Snapchat não têm por que interagir com outras pessoas ou sequer criar conteúdo próprio. E a empresa por trás do aplicativo diversificou seu uso a partir de janeiro do ano passado ao lançar a seção discover – um carrossel de histórias oferecidas por uma série de veículos de mídia.

“Não somos uma rede social. Temos uma colaboração com alguns meios de comunicação para criar um formato que priorize contar histórias”, disse o Snapchat, em um comunicado oficial.

Assim é possível entrar nos perfis de meios como BBC, CNN, Wall Street Journal e outros, que devem sempre atualizar seu conteúdo a cada 24 horas.

Mas a companhia também estimula a produção de conteúdo gerado por usuários, incluindo em eventos de grande porte, como o Oscar.

Diariamente, os usuários do Snapchat assistem a 8 bilhões de vídeos, segundo dados da empresa. O instituto de pesquisas Nielsen estima que 41% dos adultos americanos com menos de 35 anos usam o aplicativo.

Confira o artigo original da BBC Brasil