Quando as parcerias com alguns clientes são tão duradouras que se confundem com a nossa própria historia

3 de agosto de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

No mês de agosto faremos uma serie de artigos sobre a nossa longa trajetória como agência de design do Rei do Mate, uma história que começou antes mesmo da Opend existir. Vem com a gente!

O atendimento na rede começou em 2001 quando o Ivan Alatxeve, diretor de relacionamento da Opend, ainda era vendedor de food service na Melhor Bocado, empresa detentora da marca Dunkin Donuts, pioneira e líder no Brasil do conceito American Bakery.

“Foi uma das primeiras experiências de co-branding no Brasil, ou seja, duas marcas convivendo no mesmo espaço, na época Dunkin Donuts sendo vendido dentro das lojas do Rei do Mate através de uma torre com Donuts”, acrescenta Ivan.

Sempre foi perfil da Opend iniciar negócios por meio de um relacionamento, a cada quatro clientes da agência, três vieram por meio de relacionamentos com o mercado ou até mesmo pessoal.

“Após muitos anos de relacionamento como fornecedor de produtos do Rei do Mate, no segundo semestre de 2010 iniciamos o atendimento na rede para atendê-los como agência de design.  A Opend havia começado há muito pouco tempo as suas atividades, mesmo assim o RM acreditou em nós e nos deu a oportunidade de iniciarmos uma jornada ao lado deles”, ressalta Ivan.

Alguns dados do gigante das franquias no Brasil

O Rei do mate atualmente tem 330 lojas espelhadas por todo Brasil, em 85 cidades e 20 estados diferentes. E sua comunicação visual para as franquias é totalmente centralizada, feita pela administração do negócio. A rede cresceu 60% nos últimos 3 anos.

Todo ano a rede recebe selos de reconhecimento de revistas e órgãos especializados, em 2016 foi eleita pela ABF – Associação Brasileira de Frachising como as três melhores franquias do Brasil. 

Para Ivan o principal fator de sucesso da parceria, que se mantem até hoje, foi o relacionamento com as pessoas do RM, além da jornada anterior com o cliente, que ajudou muito na compreensão e adaptação para o atendimento.

“Olhando a exigência do RM conosco, podemos perceber o cuidado que a franqueadora tem com seus franqueados, job após job, mês após mês, ano após ano vemos e certificamos isso. Internamente sempre comentamos que se um dia investíssemos em uma franquia, certamente seríamos franqueados dos Rei do Mate” finaliza.

Entrevista com Antonio Carlos, Diretor de marketing da rede, resume um pouco da história do Rei do Mate.

De lá para cá a agência participou de muitos projetos expressivos com a rede e justamente para celebrar essa história de mais de 6 anos juntos, vamos dividir com você nos próximos artigos, alguns dos trabalhos que marcaram muito esta jornada.

Veja mais alguns artigos relacionados a relacionamento com clientes e o nosso principal negócio: design de embalagem. 

Boa leitura e até a próxima semana!

 

 

 

4 dicas para um Planejamento de Marketing que dá certo!

4 de julho de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Você está há três dias com fortes dores de cabeça e decide ir ao médico. Ao chegar no consultório, ele não troca mais que poucas palavras com você, não faz nenhum exame, passa um medicamento pra dor e manda você pra casa. Qual seria a sua reação? Você se sentiria satisfeito com a consulta? Que confiança você teria de que o medicamento iria resolver o seu problema?

Assim como um remédio, as ações de marketing são efetivas e produzem bons resultados. Porém é necessário um diagnóstico apurado, baseado nos exames e histórico do paciente para se receitar algo que seja de fato efetivo a curto e longo prazo. Na hora de pensar nas ações de marketing para uma empresa, seus produtos e serviços, o plano de marketing é o responsável por diagnosticar as necessidades e apontar os caminhos para ação. Quanto mais planejamento, mais assertivo serão as ações de marketing.

Não há um plano de marketing ideal ou modelo padrão, mas existem alguns pontos relevantes que se adaptam a qualquer segmento. Cada empresa possui suas características e especificidade, portanto cada plano de marketing é único e de acordo com o contexto que a empresa está inserida. É conhecendo a fundo a atuação e objetivos da empresa em questão que se poderá desenvolver ações que trarão resultados satisfatórios. Então, aqui vão 4 dicas para você

 

1) Olhe ao redor

Um bom planejamento exige uma análise do mercado de atuação da empresa e de seus concorrentes. A importância dessa etapa no planejamento, é conhecer as pontos fortes e fracos da esfera em que se atua ou que se quer atuar para assim aproveitar as lacunas e oferecer algo que tenha um diferencial. Aprender com os erros dos outros e não repeti-los evita o desperdício de investimento tanto de tempo como de recursos. Faça um apanhado dos bons exemplos de ações, as que mais bombaram e tiveram resultados positivos, isso auxilia na percepção e conhecimento do que os clientes gostam, ou seja, um vislumbre do caminho a seguir.

 

2) Olhe para dentro

Reconhecer suas forças e fraquezas dentro segmento em que sua empresa está inserida e em relação aos concorrentes é um ponto essencial. Mas, também é importante ser franco quanto a essência interna. Quais os objetivos da empresa? Como ela quer se posicionar no mercado? Como quer ser conhecida? Quais são seus valores e missão?

Fundamental também, é definir exatamente quem a empresa quer atrair. Quem é seu público e como ele se comporta? Os melhores resultados acontecem quando sabemos com quem queremos dialogar e quais são as necessidades dessas pessoas. Trace um perfil real de pessoas que pretende alcançar: seus hábitos, como consomem informação, suas dores, dúvidas, e até mesmo como entrarão em contato com sua empresa. Não há como atingir todo mundo de uma vez só, portanto seja específico, saiba quem é o seu cliente ideal.

 

3) Escolha as ferramentas certas

Este é o momento de definir estratégias e ações que serão construídas a partir do objetivo final da empresa. As possibilidades de ações são inúmeras, criatividade e mente aberta serão um diferencial na hora de definir quais ações terão melhor resultados. Marketing digital, offline, inbound, outbound, guerrilha, viral e por aí vai.

Leve em consideração também, o orçamento que sua empresa dispõe. Seja realista! Não adianta fazer planos mirabolantes e não poder executá-los.

Estabeleça um cronograma para a realização do plano de marketing e ações. Esse cronograma te ajudará a monitorar as ações e seus resultados proporcionando uma avaliação do que deu certo ou alteração do que precisa ser corrigido. Mudar o caminho no meio do percurso não é sinal de fracasso.  Imprevistos acontecem e precisam ser gerenciados da melhor forma. Tente detalhar ao máximo seu cronograma, desde as ações até quais ferramentas e pessoas serão necessárias para realizá-las.

 

4) Qualidade x Quantidade

A gente já sabe que tamanho não é documento faz tempo, certo? Logo, na hora de fazer um planejamento, não seja extenso e cansativo. Concentre-se no que precisa de atenção e nos detalhes importantes! Saiba filtrar as informações e ser objetivo para facilitar o entendimento e execução do plano. Quanto mais informação relevante, mais fácil será investir o tempo na prática de tirar as ideias do papel.

Se a sua marca precisa de um bom Planejamento de Marketing, analisando o mercado e definindo boas estratégias, a Opend – estratégia e design sob medida pra você – tem as melhores ações para te indicar. Deixe suas dúvidas nos comentários e entre em contato com a gente!

Feedback: qual é o peso e a medida?

13 de junho de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Acompanhe o depoimento e dicas do site Administradores pela Coach Deborah Toschi sobre Feedback. Descubra qual é o peso e a medida correta que os gestores devem adotar.

Faz 20 anos que atuo na área de Desenvolvimento Humano. Desde sempre, ou seja, estamos falando aqui da década de 90, vejo o tema Feedback como alvo de atenção e preocupação entre os assuntos relacionados a gestão de times e liderança.

O grande “Q” da questão é sempre o peso e a medida que os gestores devem adotar no momento do feedback. Como falar? Quanto? Quando?

Fico aqui pensando se isto é algo tão importante e preocupante, seria bem interessante que este tema fosse alvo de um “case interview” para os líderes. Mas, vamos entender o que se passa na pele dos gestores. Aqueles que já vivem este cenário sabem muito bem que nem sempre é fácil. Ter a certeza e a segurança entre o peso e a medida do que é importante compartilhar com seus funcionários é algo que requer cuidado.

Eu mesma tenho algumas passagens complexas na minha trajetória. Escrevendo este artigo me fez recordar um caso bem marcante.

Eu tinha assumido uma equipe recentemente e tinha uma gestora que já apresentava um histórico de feedbacks desafiadores. Logo após o comitê de avaliação, e com os exemplos dos meus pares na memória, fui para uma sessão de feedback com todo o empenho para mostrar aquilo que tinha ouvido. Para mim era um “last call”, pois já tinha um sinal forte de desligamento à vista.

Eu fiquei uma hora e meia com ela…Com fatos e dados (muitos até descritos no relatório) tentei mostrar os pontos ali exemplificados na avaliação 360 graus. Esperava ao menos um sinal de mudança ou pelo menos abertura para que ela considerasse tudo que foi apresentado, mas não adiantou. Depois compartilhei com o meu diretor as reações e ele disse que não gastaria trinta minutos com aquele caso.

Sim, as chances eram mínimas, mas minha premissa sempre foi tentar até a última fase. Por outro lado, existem situações que não vale tanto desgaste e ali também me serviu de exemplo. Contudo, sempre temos que conduzir este processo de forma que fique claro todos os pontos. A mensagem sem sombra de dúvida foi passada.

Quero então compartilhar 5 dicas para aumentar a sua assertividade no momento de Feedback!

  1. Fatos e Dados

Quanto mais informações concretas, exemplos, situações e outros dados você tiver para exemplificar melhor. Nem sempre o nosso discurso por mais dedicado que seja deixará claro aquilo que queremos transmitir. Então, busque estes exemplos.

  1. Ouça e Pergunte

Durante a conversa, principalmente no início e no fim do encontro procure entender, do ponto de vista do funcionário, o que ele tem observado e compreendido sobre as fortalezas e seus pontos de desenvolvimento. Este ponto é muito importante não só para que o outro tenha espaço para colocar seu ponto de vista, mas para que você compreenda o quão próximo ou distante ele está das considerações que ali serão apresentadas. Este fator ajudará no alinhamento da sua comunicação.

  1. Verdade e Consequências

Sempre fale a verdade. Sim, temos a preocupação de sermos muito duros, pois na nossa cultura relacional sempre evitamos conflitos, mas acredite que a verdade sempre é a melhor aliada. Não deixe de dizer os incômodos! Na hora de falar sobre eles, mesmo quando a pessoa não percebe que aquilo é importante, procure colocar de uma forma construtiva. Aqui tem um ponto que é um grande aliado, as consequências. Se você explica o que é esperado e porque é esperado, o seu interlocutor vai aos poucos entendendo as consequências. Se ele olhar para os desafios e trabalhar em cima disso as consequências tanto para ele quanto para o time serão positivas. Caso ele decida não trabalhar estes pontos ele continuará sofrendo as consequências também. O ganho não é para empresa e sim para todos.

  1. Reconhecimento

Todos os avaliados possuem contribuições e competências que agregam valor. Então, você precisa reconhecer estes pontos. Aqui a regra também é a mesma com fatos e dados. O funcionário que é reconhecido se sentirá valorizado, e consequentemente mais encorajado para se desenvolver cada vez mais.

  1. Assumindo compromissos

O último ponto e muito importante é o compromisso. No final da conversa encerre com um espírito de parceria e comprometimento mútuo. É papel do gestor estar disponível para auxiliar e contribuir com o desenvolvimento do funcionário. Assuma este compromisso com ele, e alinhe quais são os pontos que ele se compromete a partir dali. Toda vez que elaboramos um plano de desenvolvimento fazemos com a finalidade que seja possível de ser atingido e que agregue, e não para que lá na frente os resultados esperados não sejam alcançados.

Espero que estas dicas ajudem o seu processo de gestão de equipe e autoconhecimento!

Fonte: Administradores

7 formas simples e eficazes de atendimento ao cliente

18 de janeiro de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Se existe uma coisa capaz de manter um cliente ou de perdê-lo é por meio do atendimento

Já fez a lista de metas e planos para o novo ano? Aproveita para rever os seus processos internos na empresa e ou nos negócios, é sempre tempo de melhorar, aperfeiçoar e corrigir a rota. Sabemos que a base de uma empresa são os seus clientes, e o atendimento é o elo entre as partes que dita todas as regras do relacionamento, se ele será duradouro ou não, produtivo, lucrativo, etc.

Aqui vão algumas dicas básicas para um bom atendimento. Confere ai:

1. Retorne o contato rapidamente

Mesmo que ainda não tenha uma resposta concreta, dê um alô e diga que está verificando, não deixe o cliente por mais de duas horas sem uma resposta. Essa ação tem dois conceitos importantes: o primeiro é de confirmar que recebeu a informação e o outro é o de mostrar para ele que já esta verificando.

2. Fique atento aos prazos

A primeira pergunta de um bom atendimento é qual o prazo para entrega do trabalho. Não adianta entregar o melhor serviço do mundo se você ou sua empresa não são capazes de cumprir prazos.


Leia mais… “7 formas simples e eficazes de atendimento ao cliente”

Na era digital não basta trabalhar o produto e a marca é preciso fortalecer a imagem

26 de outubro de 2016 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

A opend e a Inbox Comunicação se uniram para oferecer uma estrutura mais completa em marketing digital, para profissionais liberais, pequenas e médias empresas

A Inbox Comunicação, agência de marketing digital, conteúdo e assessoria de imprensa, respeitada no mercado, principalmente no alimentício (food service, varejo e gastronômico), sobre o comando da Jornalista Fernanda Lage, veio para suprir uma necessidade que a opend tinha em atender a demanda interna de clientes em marketing digital.

“O novo negócio não diminui a participação da agência em design, pelo contrário, amplia a nossa capacidade de atendimento completo em comunicação”, Alatxeve.

Na era digital não basta trabalhar o produto e a marca é preciso fortalecer a imagem, pulverizar a informação, ampliar a visibilidade e atrair interessados ao seu negócio de forma orgânica”, explica Ivan Alatxeve, diretor de relacionamento da opend . estratégia e design sob medida para você.

A Inbox Comunicação já atendia a opend . estratégia e design na parte de marketing digital. “Foram muitos meses de namoro com a Inbox, testamos os métodos de estratégia e planejamento, aplicando ao nosso próprio negócio. Partimos então para a operação com conteúdo especializado e inbound marketing no geral, tudo direcionado, centralizado ao site da opend. Os resultados foram surpreendentes e nos sentimos seguros para oficializar a nossa união e oferecer o formato de negócio aos nossos clientes”, completa Alatxeve.

“Um dos motivos pelo qual nos levou a aceitar a proposta da opend foi o jeito de trabalhar e atender da agência, como nós, a agência prioriza o relacionamento humanizado e a entrega. Sem dúvidas, demos um grande passo ao unirmos as nossas forças”, destaca Fernanda Lage, ex-diretora de atendimento da Inbox e atual diretora de planejamento e atendimento da opend.

Em apenas um mês de operação conjunta, o novo negócio em marketing digital já está operando em cinco novas empresas, de setores como o de beleza e estética, tecnologia e alimentos, além de profissionais liberais como médico e nutricionista.

“Existe ainda muitas propostas, que surgiram de dentro para fora da empresa, graças ao respaldo da opend junto aos seus clientes”, acrescenta e finaliza Fernanda Lage.

Quem quiser saber mais ou necessitar de marketing digital com resultados, procure a opend . estratégia e design sob medida para você.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marketing voltado para as relações humanas

4 de julho de 2016 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Existe uma frase estampada em todas as nossas comunicações que é o norte de todo o negócio da Opend: “Para nós, empresas são indivíduos, nosso trato é humano e nosso atendimento é um relacionamento”. Mais do que uma simples mensagem, é nisso que acreditamos, como um livro de cabeceira, para acordar e dormir refletindo.

Sempre confiamos na gentileza entre relações, construímos toda a nossa história em torno disso e quando encontramos parceiros que pensam e agem da mesma forma, logo tratamos de unir forças. Conhecemos há pouco tempo o projeto Marketing de Gentileza e como a Opend já aplica o conceito foi uma descoberta e tanto.

Em um mundo entre farpas na linguagem web e do fascismo autoritário, onde cada indivíduo acredita ser o dono da verdade, reflexo da cultura da nossa época, uma das coisas que mais nos chamou a atenção no Marketing de Gentileza foi o novo olhar sobre a gentileza no ambiente virtual.

Como surgiu o Marketing de Gentileza?

O projeto mostra que a gentileza pode ser estratégica e natural ao mesmo tempo, com o objetivo de conquistar as pessoas por meio da comunicação nos relacionamentos online, com a ideia central de que o marketing não é apenas sobre marcas, produtos, serviços ou eventos. É sobre relações humanas.

 Laíze Damasceno.A idealizadora do projeto, Laíze Damasceno, autora do livro Marketing de Gentileza e diretora da Angorá Comunicação, conta que sempre teve uma veia empreendedora para negócios e sempre sonhou em ter algo bem autoral, que em primeiro lugar pudesse emocioná-la e fizesse muito sentido e que fosse alinhado ao seu propósito de vida e inspirasse, naturalmente, as pessoas de alguma forma.

Tudo começou a acontecer com um workshop a convite do Sr. Gentileza, que, inclusive, escreveu o prefácio do livro.

Capa livro MKT DE GENTILEZA  - LAÍZE DAMASCENO

Perguntamos para Laíze se é possível usar o marketing de gentileza em design digital (imagem e ilustração) e com clareza ela falou a respeito: “Com certeza! A aplicação do Marketing de Gentileza se dá exatamente no que eu chamo de Gentileza Virtual (atenção genuína às pessoas na internet), que pode e deve ser praticada em qualquer plataforma de comunicação e relacionamento, independentemente do formato (texto, imagem, áudio, vídeo etc.)”.

Ela ainda exemplifica sobre como se sente quando acessa um site todo truncado, desatualizado, com um design que não facilita a navegação e com uma usabilidade ruim, com formulários que não funcionam, textos mal escritos, cores mal combinadas etc. “Percebo duas coisas: não passa profissionalismo e, por isso, não gera credibilidade, e a segunda é que a empresa não está nem aí para mim, ou seja, ela não me dá atenção”.

E, para finalizar, a idealizadora do projeto nos conta como o marketing de gentileza pode agregar e ser aplicado em empresas do meio de comunicação:

No relacionamento com as pessoas. Principalmente no relacionamento com os clientes. Quanto mais atenção genuína você dá às pessoas, mais elas confiam em você, te procuram, defendem sua marca, mais embaixadores chegarão, mais a sua empresa se torna querida e, provavelmente, mais sucesso e vendas seu negócio alcançará”.

Para saber mais: Marketing de Gentileza