Desmistificando o planejamento estratégico

11 de abril de 2016 - opend [estratégia e design] sob medida para você!

empreenderismo_post6

Saiba como um plano baseado em ideias simples pode trazer grandes benefícios ao seu negócio

Como é possível abordar o planejamento estratégico de forma clara, direta e simplificada, já que a própria palavra “plano estratégico”, na maioria das vezes, exige complexidade? Para tentar dar um foco no assunto tão abrangente e complexo, apresentamos colocações especificamente para as empresas de pequeno porte ou para um empreendedor individual, que esteja iniciando um negócio ou para quem já começou.

Fomos invadidos por uma cultura onde “mais” é sinônimo de melhor e quanto mais detalhado e abrangente for um plano “melhor”. Será?

Para quem não sabe, o planejamento estratégico é o desenvolvimento da base gerencial de uma empresa e os caminhos que ela deve seguir. É a definição dos objetivos para criar um conjunto de ações para a sua execução, levando em conta os aspectos internos e externos do negócio para alcançar o objetivo proposto.

Com um mercado em constante mudança, comportamento de consumidores mudando em ciclos, menos tempo para tudo na vida, então por que criar algo com complexidade? Às vezes planejamento estratégico pode ter ou ser sinônimo de algo rígido e imutável e isso é um erro; num planejamento estratégico devem-se criar linhas básicas de direcionamento, com espaço para periódicas revisões, com ajuste de rota constante, porque os ventos mudam e as condições climáticas também.

E como o ótimo é inimigo do bom, você pode deixar de fazer algo porque deseja o ótimo, mas o bom naquele momento pode atender e ser um degrau da evolução.

Para Ivan Alatxeve, diretor de atendimento da #opend – agência de estratégia de marketing e de design de embalagem –, planos feitos com simplicidade são tão importantes quanto os planejamentos complexos. “Defendo fervorosamente que a simplicidade pode ser mais eficaz que a complexidade, porque na simplicidade existe a desmistificação. O plano estratégico é o norte para onde vamos e o empreendedor necessita de respostas simples e diretas”.

Algumas dúvidas são corriqueiras para a maioria dos empreendedores que ainda não tem um negócio bem definido e/ou está começando em algo novo. Estas questões básicas devem encabeçar um plano estratégico, como as destacadas por Ivan a seguir: “Com quem vamos?”, “Quando vamos?”, “Com o que vamos?”, “Quanto investiremos?” e “O que queremos?”.

Mais abaixo veja um guia de perguntas básicas de como começar um plano estratégico.

É preciso ser cuidadoso com planos estratégicos, pois apesar de ser considerada uma grande ferramenta de gestão, os planos muito complexos podem gerar dificuldade para o pequeno empresário e, principalmente, para o operador do negócio.

Para o diretor de atendimento Ivan Alatxeve, o operador pode ser o mais prejudicado com planos estratégicos complexos e, consequentemente, o empresário, que não terá o resultado esperado. “É preciso ter o seguinte em mente: o planejamento é a linha-mestra e deve ter um desdobramento também simples da parte tática, que são as ações que devemos ter para cumprir o plano de negócio, quanto mais direto e simples for, melhor”.

O plano estratégico, mesmo que simplificado, é o norte de tudo e uma empresa sem norte pode estar fadada a fechar as portas antes mesmo de obter qualquer resultado mais expressivo, antes mesmo do retorno de investimento de tempo e dinheiro.

Seguem abaixo algumas perguntas necessárias para começar a montar um plano estratégico:

PARA ONDE IR?
Qual o caminho a seguir;

COM QUEM IR?
Parceiros, fornecedores, colaboradores, entre outros;

QUANDO IR?
Qual é o tempo previsto para ir;

COM O QUE IR?
Será utilizada a estrutura atual, o pessoal atual, o modelo de negócio atual e/ou com novas frentes, ou será necessário algo completamente novo;

QUANTO INVESTIR?
É extremamente importante saber o custo do negócio;

O QUE DESEJA?
Não se pode definir objetivos sem saber o que se deseja.

E não pode faltar o desmembramento simples das atividades que precisam ser realizadas, como um plano tático e os indicadores de performance (KPI’s).

Para um ciclo de planejamento estratégico pode se usar ainda o método PDCA, um dos mais conhecidos e antigos conceitos de gestão do mundo. Sua origem se deu a partir do ciclo de Shewhart, engenheiro norte-americano que foi o introdutor do controle estatístico para o controle da qualidade há mais de 70 anos. Mas os fragmentos que lhe deram origem se desenvolveram ao longo de, pelo menos, 300 anos de pensamento filosófico.

 A sigla “PDCA” em inglês significa “Plan, Do, Check, Act”, e traduzida é definida como:

P – Planejar
D – Desenvolver/Fazer/Realizar/Executar
C – Checar/Avaliar
A – Agir

Com esses conceitos introdutórios já é possível ter um pouco mais de noção sobre planejamento estratégico e se precisar de ajuda para planejar o seu negócio, consulte a agência #opend, que é especializada em estratégia de marketing e design e vem, há mais de sete anos, construindo bons relacionamentos e ajudando empreendedores, pequenos e médios empresários e investidores individuais a terem sucesso nos seus negócios.

Para saber mais acesse:
www.opend.com.br

 

Vejam ainda alguns conteúdos relevantes sobre o tema:

10 passos para montar um planejamento estratégico, do portal Comunique-se:
http://portal.comunique-se.com.br/jo-com/73277-10-passos-para-montar-um-planejamento-estrategico-de-comunicacao

Anhembi Morumbi – Planejamento estratégico de comunicação:
http://www2.anhembi.br/html/ead01/estrategias_com_midia_eletronica/aula2.pdf

Cansado do mundo corporativo? Nunca é tarde para recomeçar

15 de março de 2016 - opend [estratégia e design] sob medida para você!
empreendedorismo_post5
Empreendedorismo – Mundo Corporativo

Investir em algo novo pode ser o que faltava para sua vida deslanchar. Saiba como se preparar e quais as melhores opções do mercado

Se você é um profissional de comunicação e pensa em investir em um novo negócio próprio, qual o caminho a seguir? Quais as opções mais relevantes e que estão em alta no mercado de comunicação? São inúmeras as questões com as quais dormimos e acordamos e que, na maioria das vezes, não saem do papel e nem dos pensamentos.

Mudanças representam inseguranças e desconforto, principalmente para quem se preparou a vida toda para seguir uma carreira no mercado corporativo, fluência em inglês e outras línguas, MBA, pós-graduação, doutorado, ou seja qual for as suas qualificações, ao sair do mundo corporativo elas não ficarão para trás; pelo contrário, podem ser aplicadas em um novo negócio e ainda com a vantagem da motivação extra de quem realmente quer investir tempo e dinheiro em algo próprio.

Veja algumas dicas que poderão ajudá-lo a tornar possível o sonho de empreender por conta própria:

1. LEVANTE AS PRINCIPAIS RAZÕES PELA QUAL QUER MUDAR.

Não aguenta mais a sua rotina de trabalho? Gostaria de conviver com pessoas que compartilham dos seus planos e ideias? Não quer seguir as regras da empresa que não concorda? Além disso, está estagnado no atual trabalho, não tem mais para aonde crescer e nem aprender? O mercado está incerto e você está perdendo cada vez mais espaço? Gostaria de mais motivação e qualidade de vida? Tudo isso contribui para as insatisfações e vontade de mudanças. Portanto, faça uma lista do porquê gostaria de mudar no modelo profissional atual. E não se esqueça de ressaltar os prós e contras.

2. VOCÊ GOSTA DO QUE FAZ?

Uma importante forma de despertar o empreendedor que há em você é se perguntando se realmente gosta do que faz. A resposta a este questionamento poderá ser decisiva para o seu novo plano profissional.

3. PLANEJAMENTO É ESSENCIAL.

Não é possível ter confiança em algo novo sem que tenha um bom plano para seguir. E muito mais que isso, é preciso elaborar cada etapa desse plano, mesmo que de forma simples. Tente traçar um objetivo pelo qual quer mudar de emprego. Seja porque tem novas ideias e vontade de crescer, seja para ter mais qualidade de vida e realização profissional. Ou porque tem algum dinheiro guardado e acredita que com sua experiência pode gerar algo lucrativo e prazeroso.

4. PERCA O TEMPO QUE FOR PRECISO NA PARTE DO PLANEJAMENTO.

Lembre-se de que o planejamento estratégico irá ajudá-lo a organizar as ideias, definir objetivos, criar um plano de ação e planejar cada uma das etapas. Se não se sente capaz de fazê-lo sozinho, busque a ajuda de profissionais. Existem serviços adequados para o tamanho do seu investimento e do negócio.

 5. NÃO ABANDONE O SEU EMPREGO ATUAL.

O mar não está pra peixe, logo, antes de deixar o cargo para seguir uma ideia empreendedora, avalie o mercado, faça planos, veja o quanto pode e quer investir e comece a arquitetar o novo projeto. Nesse plano é importante definir bem o tipo de negócio, o público que quer atingir, como está o mercado de atuação, previsão de gastos, expectativas e probabilidade de renda e, principalmente, a data para cada etapa do novo negócio.

6. O QUE ESTÁ EM ALTA NO SEU MERCADO DE ATUAÇÃO? AONDE INVESTIR NO MERCADO DE COMUNICAÇÃO?

Bem, a comunicação é muito extensa e se divide em diversas áreas de atuação. Levantamos algumas delas nas quais atuamos mais intensamente, como é o caso de design de embalagens, e podemos afirmar que o que está em alta é o redesign – tema que daremos uma atenção especial em outros capítulos da série Empreender da Opend.

Outro ponto bastante citado no artigo foi sobre planejamento estratégico, no qual diagnosticamos que a parte de construção de marcas, planejamento de marketing, gestão de marketing e marketing digital (planejamento, treinamento e gestão) estão em alta.

Fique de olho em parceiros de negócios (business partners), pois cada vez mais o mercado busca esse tipo de profissional, seja para investir junto ou fazer parte do time. O parceiro de negócio é um tipo de profissional que alinhado com o seu tipo de serviço fará a ponte entre o mercado de atuação e as pessoas. Um profissional com visão estratégica e contatos diversos, que poderá ampliar o alcance dos resultados.

*Continuem acompanhando os artigos da #opend, pois nos próximos falaremos mais detalhadamente sobre planejamento estratégico.

6. TENHA UMA RESERVA FINANCEIRA.

Como já falamos ter uma reserva financeira é fundamental para começar algo novo. Mesmo calculando todos os passos e definindo bem o plano estratégico, nem sempre o mercado reage tão rapidamente e muitas mudanças podem ser necessárias. Para que um novo investimento não acabe antes mesmo de começar, é preciso se planejar para os percalços do caminho, e só uma reserva financeira poderá te salvar, caso algo dê errado ou não for ao tempo planejado.

7. BUSQUE PARCEIROS QUE JÁ ATUEM NA ÁREA.

Deseja mesmo investir em algo novo, mas não sabe por onde começar? Existem empresas em buscas de parceiros ou de sócios investidores, como é o caso da Opend – agência de estratégia de marketing e de design de embalagem – que está à procura de um sócio para o marketing de relacionamento.

 

Para saber mais, entre em contato: www.opend.com.br

 

Separador

Acompanhe alguns temas de quem largou o mundo corporativo para seguir sozinho no universo da comunicação.

Vídeo: publicitário deixa o emprego para dar aulas na internet: http://brunopinheiro.me/cursos/pequenas-empresas-grandes-negocios-tab/?src=Taboola&utm_source=Taboola&utm_medium=NOS_PEGN&utm_campaign=NOS&utm_source=taboola&utm_medium=referral

Empreender pode ser uma alternativa na crise: http://blog.opend.com.br/?p=240

Dicas de como empreender em comunicação: http://consumidormoderno.com.br/index.php/component/k2/item/31429-7-dicas-de-como-empreender-em-comunicacao

Por que não participamos de concorrência

22 de outubro de 2015 - opend [estratégia e design] sob medida para você!

Por que não participamos de concorrência. opend . design feito sob medida

É muito peculiar o que a iniciativa privada conseguiu com as grandes agências de publicidade ao criar esse processo bizarro de concorrência. Porque em nada ela se assemelha aos processos de licitação, quando a competição se dá pela proposta de um projeto que tem como princípio de comparação os valores cobrados. E apenas.
Leia mais… “Por que não participamos de concorrência”