Branding: como usar a era digital para agregar valor à sua marca

4 de julho de 2017 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

É inegável que a internet alterou nosso modo de vida em inúmeros aspectos. Tivemos que nos reinventar, descobrir e criar novos caminhos para acompanhar essa mudança que a era digital nos trouxe. Hoje, cerca de 58% de brasileiros estão conectados à rede, o que representa 102 milhões de pessoas, e a média de tempo gasta no ambiente virtual é de 9 horas por dia, considerando o tempo gasto com o uso de computador e dispositivos móveis.

Com todo esse potencial de alcance, a internet é uma ferramenta extremamente útil no branding. Agregar valor à uma marca, produto ou serviço de forma efetiva e duradoura é um desafio gigantesco e a internet pode ser uma facilitadora neste processo. No entanto, é necessário saber como aproveitar essa ferramenta de forma estratégica porque assim como o potencial de ganho para o negócio é amplo, uma estratégia errada ou mal feita pode gerar péssimos resultados rapidamente.

Relacionamento é a alma do negócio

A principal característica da internet é a possibilidade de uma relação de proximidade e interação entre consumidor e marca. Desenvolver um relacionamento exige um conhecimento amplo das características e até mesmo dos hábitos do cliente. É preciso considerar não apenas o conteúdo que ele consome, mas também as plataformas e dispositivos que são usados e assim adaptá-lo aos diferentes públicos para tornar a experiência do usuário mais dinâmica e prazerosa possível.

Vale ressaltar também, que a internet proporciona uma participação direta do consumidor na construção da imagem da marca pela viabilidade de avaliação de produtos e serviços, de forma rápida e pública. Todos podem ter acesso às opiniões de outros consumidores, o que obviamente influencia na decisão final de compra, por isso a importância do relacionamento com o cliente. O branding não transforma sua marca, ele ressalta os pontos positivos e deixa mais evidente o que ela já é e representa. Logo, é imprescindível que tenha-se bem definido o posicionamento e motivações da marca antes de iniciar o processo de divulgação e posicionamento.

 

4 dicas práticas de Branding Digital

1) A internet fornece diversas plataformas com inúmeras formas de uso, mas de nada adianta colocar um conteúdo no Instagram se o seu cliente usa apenas Facebook. O perfil do cliente vai te guiar para a melhor plataforma, desde a produção das pautas até o formato dos conteúdos. Use e abuse das mídias sociais! Facebook, YouTube e Instagram são os queridinhos do momento, mas atualize-se sobre os novos aplicativos e plataformas que estão sendo lançadas. Muitas vezes chegar primeiro pode te dar uma boa vantagem sob os concorrentes.

2) Cumpra o que você propõe. Se abrir um página no Facebook que tem uma proposta de interação forte é preciso estar preparado para a demanda que isso pode gerar. Administrar e responder os comentários e mensagens com agilidade e empatia com o consumidor em potencial é o básico que se precisa fazer para manter um bom relacionamento com o cliente.

3) Apenas ter um perfil no instagram ou um blog que nunca é atualizado, é o mesmo que não ter nada. O branding exige uma constância da marca com o compromisso de ter sempre conteúdos relevantes e novos. É melhor ter um perfil em apenas uma plataforma e conseguir atender e interagir bem com o público do que ter várias contas em plataformas diferentes e não alimentá-las com frequência.

4) O conteúdo criado precisa ser relevante e causar um identificação no cliente. Foto, vídeo, texto ou qualquer outro formato, deve conversar com o cliente tanto na parte visual como apresentar informações valiosas e diferenciadas. Fique atento no que está rolando na internet e dialogue com isso. Vocabulário, memes e virais podem ser uma fonte infinita de conteúdo e inspiração.

O branding digital é a personalidade online da marca e o ideal é transformar clientes em fãs que amam, falam bem e recomendam seu serviço ou produto. Essa relação precisa ser construída com transparência e autenticidade, pois qualquer deslize pode comprometer a reputação online que demorou anos para ser construída.

Quer saber como aplicar esses conceitos e fazer sua marca bombar na internet? A gente pode te ajudar com isso. Vem contar suas ideias para a Opend – estratégia e design sob medida pra você!

Marketing voltado para as relações humanas

4 de julho de 2016 - opend [ estratégia e design ] sob medida para você!

Existe uma frase estampada em todas as nossas comunicações que é o norte de todo o negócio da Opend: “Para nós, empresas são indivíduos, nosso trato é humano e nosso atendimento é um relacionamento”. Mais do que uma simples mensagem, é nisso que acreditamos, como um livro de cabeceira, para acordar e dormir refletindo.

Sempre confiamos na gentileza entre relações, construímos toda a nossa história em torno disso e quando encontramos parceiros que pensam e agem da mesma forma, logo tratamos de unir forças. Conhecemos há pouco tempo o projeto Marketing de Gentileza e como a Opend já aplica o conceito foi uma descoberta e tanto.

Em um mundo entre farpas na linguagem web e do fascismo autoritário, onde cada indivíduo acredita ser o dono da verdade, reflexo da cultura da nossa época, uma das coisas que mais nos chamou a atenção no Marketing de Gentileza foi o novo olhar sobre a gentileza no ambiente virtual.

Como surgiu o Marketing de Gentileza?

O projeto mostra que a gentileza pode ser estratégica e natural ao mesmo tempo, com o objetivo de conquistar as pessoas por meio da comunicação nos relacionamentos online, com a ideia central de que o marketing não é apenas sobre marcas, produtos, serviços ou eventos. É sobre relações humanas.

 Laíze Damasceno.A idealizadora do projeto, Laíze Damasceno, autora do livro Marketing de Gentileza e diretora da Angorá Comunicação, conta que sempre teve uma veia empreendedora para negócios e sempre sonhou em ter algo bem autoral, que em primeiro lugar pudesse emocioná-la e fizesse muito sentido e que fosse alinhado ao seu propósito de vida e inspirasse, naturalmente, as pessoas de alguma forma.

Tudo começou a acontecer com um workshop a convite do Sr. Gentileza, que, inclusive, escreveu o prefácio do livro.

Capa livro MKT DE GENTILEZA  - LAÍZE DAMASCENO

Perguntamos para Laíze se é possível usar o marketing de gentileza em design digital (imagem e ilustração) e com clareza ela falou a respeito: “Com certeza! A aplicação do Marketing de Gentileza se dá exatamente no que eu chamo de Gentileza Virtual (atenção genuína às pessoas na internet), que pode e deve ser praticada em qualquer plataforma de comunicação e relacionamento, independentemente do formato (texto, imagem, áudio, vídeo etc.)”.

Ela ainda exemplifica sobre como se sente quando acessa um site todo truncado, desatualizado, com um design que não facilita a navegação e com uma usabilidade ruim, com formulários que não funcionam, textos mal escritos, cores mal combinadas etc. “Percebo duas coisas: não passa profissionalismo e, por isso, não gera credibilidade, e a segunda é que a empresa não está nem aí para mim, ou seja, ela não me dá atenção”.

E, para finalizar, a idealizadora do projeto nos conta como o marketing de gentileza pode agregar e ser aplicado em empresas do meio de comunicação:

No relacionamento com as pessoas. Principalmente no relacionamento com os clientes. Quanto mais atenção genuína você dá às pessoas, mais elas confiam em você, te procuram, defendem sua marca, mais embaixadores chegarão, mais a sua empresa se torna querida e, provavelmente, mais sucesso e vendas seu negócio alcançará”.

Para saber mais: Marketing de Gentileza